A Amazon acaba de lançar o Climate Pledge Fund, de 2 mil milhões de dólares (1,8 mil milhões de euros), para investir em empresas que desenvolvam produtos, serviços ou tecnologias ligadas à sustentabilidade ambiental. O objetivo é ajudar a gigante de comércio eletrónico a tornar-se neutra em carbono até 2040.

A multinacional declara em comunicado que o Climate Pledge Fund vai investir em empresas de vários setores, com um foco inicial em “transportes e logística; geração e armazenamento de energia; produção e materiais; economia circular; alimentar e agricultura”.

A companhia de ecommerce afirma que o fundo vai ter em consideração empresas “de todos os tamanhos e estágios, desde as start-ups de pré-produtos às já estabelecidas que procuram obter escala”. O fundo vai investir em organizações que desenvolvem bens ou serviços que reduzem as emissões de carbono e ajudam a preservar a natureza.

A Amazon não estabelece um prazo para o investimento de 2 mil milhões de dólares (1,7 mil milhões de euros), referindo que, com o tempo, irá “procurar oportunidades para envolver outros signatários do Climate Pledge”. Os restantes signatários incluem, até agora, a Verizon, a Infosys e a Reckitt Benckiser.

Em fevereiro, o fundador e CEO da Amazon, Jeff Bezos, anunciou o lançamento do Bezos Earth Fund, no valor de 10 mil milhões de dólares (8,9 mil milhões de euros), que descreveu como um programa global para “financiar cientistas, ativistas, ONG – qualquer esforço que proporcione uma possibilidade real de ajudar a preservar e a proteger o mundo natural”. Na altura acrescentou, num post no Instagram, que “podemos salvar a Terra. São necessárias ações coletivas por parte das empresas de grande dimensão, de pequena dimensão, dos Estados-nação, das organizações globais e dos indivíduos”.

O anúncio do Climate Pledge Fund coincidiu com o lançamento do relatório de sustentabilidade de 2019 da Amazon. A multinacional diz que está a caminho de operar a 100% com energia renovável até 2025, cinco anos antes do previsto, adiantando que se comprometeu em atingir 80% até 2024 e 100% até 2030.

A Amazon acrescenta ainda que fez dois investimentos com o Right Now Climate Fund (que totaliza 100 milhões de dólares – 89 milhões de euros), incluindo um projeto de reflorestamento nas montanhas Apalaches, nos EUA, e um esforço de arborização urbana em Berlim, na Alemanha. Parte integrante da Climate Pledge Initiative da companhia, o Right Now Climate Fund “toma medidas imediatas para remover ou evitar as emissões de carbono, apoiando soluções climáticas baseadas na natureza”, refere a Amazon.

Esta não é a primeira incursão da Amazon na área do capital de risco. Em 2015 a empresa criou o Alexa Fund, de 200 milhões de dólares (178 milhões de euros), focado em start-ups que trabalham com tecnologia de voz. Em 2019 a Amazon liderou uma ronda de 700 milhões de dólares (622 milhões de euros) para a start-up de veículos elétricos Rivian, e em dezembro participou numa ronda de 1,3 mil milhões (1,1 mil milhões de euros). Desde então, a empresa apresentou planos para adquirir 100 mil veículos comerciais elétricos da Rivian.

Comentários