Será que o trabalho flexível pode aumentar a produtividade, os lucros, e o bem-estar? Andrew Barnes e Stephanie Jones respondem nas cerca de 300 páginas de “A semana de 4 dias”.

Do que fala
Ao constatar que em oito horas de trabalho diárias, a produtividade dos trabalhadores é, no máximo, de duas horas e meia, Andrew Barnes, coautor deste livro, ficou chocado. Gestor e responsável por uma equipa de 240 pessoas na Perpetual Guardian, percebeu que a produtividade numa semana de cinco dias é, praticamente igual, à de uma semana de quatro dias! Perante a revelação, fez o teste para averiguar se seria possível trabalhar menos para ser mais produtivo. Este livro dá algumas respostas para esta questão e aborda os desafios, descobertas e entraves do gestor que iniciou a revolução do trabalho flexível, e de como a revolução do trabalho está a mudar trabalhadores e empresas.

Quem escreveu
Andrew Barnes  e Stephanie Jones são os dois autores de “A Semana de 4 Dias”. Barnes, 60 anos, natural da Nova Zelândia, foi presidente do realestate.com.au (REA Group) na altura da OPA na Bolsa de Valores da Austrália (ASX), liderou a venda da Bestinvest, uma empresa britânica que geria 5,7 mil milhões de dólares em património, e, como diretor executivo, foi fundamental para a criação e lançamento da Australian Wealth Management Limited na ASX. Criou e lidera a 4 Week Day Week Global Foundation.

Por sua vez, Stephanie Jones é uma escritora especializada em negócios e editora com formação em jornalismo, publicação de revistas e relações públicas. Tem um bacharelato em História e Literatura pela Universidade de Auckland, Nova Zelândia.

Temas Chave
Trabalho, produtividade

Ficha Técnica
Título: A Semana de Quatro Dias
ISBN: 9789896945206
Edição: junho de 2020
Editor: Actual Editora
Idioma: Português
Encadernação: Capa mole
Páginas: 290

Comentários