Para quem quer sair do roteiro turístico habitual e conhecer locais surpreendentes na Europa, estas são as sugestões do “The Guardian” que deve conhecer. Portugal também consta da lista.

Desde um mosteiro no topo de um desfiladeiro na Grécia, a paisagens campestres no coração da produção de cerveja na Bélgica, não esquecendo uma aldeia de montanha na Serra da Estrela, estas são as sugestões do The Guardian para sair do circuito de férias tradicional.

1 – Val Trebbia, Itália

A região de Val Trebbia, em Itália, foi apelidada por Ernest Hemingway como “o vale mais bonito do mundo”. Foi palco histórico do confronto entre o general cartaginês Aníbal contra as tropas o império romano. O vale, atravessado pelas águas do rio Trebbia, tem um cenário pitoresco onde se destacam castelos, aldeias e ruínas romanas. De evidenciar o mosteiro de Bobbio, fundado pelo monge irlandês Columbanus, um dos grandes centros culturais medievais.

Mas nem só de pontos históricos vive a região. As atividades ao ar livre como nadar, andar de caiaque, caminhar ou andar de bicicleta são opções, assim como degustar a excelente gastronomia que certamente deleitar os paladares mais gourmets.

2 – Sperlonga, Itália

Sperlonga, igualmente na Itália, é uma pequena cidade entre Roma e Nápoles,  pitoresca, com ruas sinuosas e íngremes, casas de pedra branca, que mantém o charme tradicional com as típicas geladarias e pizarias. Desconhecida dos turistas internacionais, a região também apela aos que gostam de praia com um litoral de areia branca e vista para o Monte Circeo. O cenário campestre é ainda composto por cavernas, como a Grotta delle Capre, onde os rebanhos de cabras se abrigaram desde sempre. Consta que os imperadores romanos costumavam frequentar o local durante a época estival, mas o costume caiu em desuso e no esquecimento dos veraneantes.

3 – Berat, Albânia

As centenárias casas otomanas, com as suas janelas características, pintam o cenário único de Berat. A cidade tem um castelo para explorar com vista sobre todo o vale. As tabernas pitorescas servem comida típica dos Balcãs, acompanhada com uma poderosa grappa. O acesso a este pequeno paraíso nos Balcãs não é difícil, mas ainda assim pode afastar alguns turistas mais acomodados. Pode ser feito através do aeroporto de Corfu e depois de ferry ou então ir diretamente para a capital Tirana e fazer o resto do percurso de carro, uma viagem de cerca de uma hora e meia para descobrir as paisagens da região.

4 – Ohrid, Macedónia do Norte

Na Macedónia do Norte, o lago Ohrid batizou uma pequena cidade que vale a pena descobrir: Ohrid. É uma cidade movimentada, mas não está saturada de turistas. A localidade tem belas paisagens para descobrir a pé ou de bicicleta, além do lago de águas cristalinas onde se pode nadar, pescar e praticar desportos náuticos. Bares, restaurantes e um parque de diversões completam a oferta.

5 – Laroles, montanhas Alpujarra, Espanha

Próximo da cidade histórica de Granada e das praias de Cabo Gata, fica a aldeia branca de Laroles localizada no alto das montanhas Alpujarras. Laroles oferece uma rara visão da vida numa comunidade rural espanhola. Entrar nesta aldeia é como fazer uma viagem no tempo, onde impera a vida agrícola baseada na cultura de oliveiras e amendoeiras, produção de vinho e mel. Os burros são o meio de transporte mais comum. No início do mês de agosto, todos os anos, a aldeia acolhe o festival de teatro Me Vuelves Lorca, que acontece num teatro ao ar livre ao estilo grego.

6 – Lapa dos Dinheiros, Portugal

Em Portugal, o destaque do The Guardian vai para a Serra da Estrela e as aldeias de montanha Valezim e Lapa dos Dinheiros. Esta última distingue-se pela praia fluvial na bacia de uma barragem, rodeada por um cenário rochoso. Uma vista para desfrutar no bar local com uma bebida refrescante.

7 – Arcadia, Grécia

No sul da Grécia esconde-se a luxuriante região de Arcadia, com as suas paisagens exuberantes e verdes, rios frescos a serpentearem pelas íngremes montanhas. Próximo da vila de Stemnitsa, após uma caminhada de cerca de 20 minutos, está o emblemático Mosteiro de Prodromou. Escavado nas encostas do desfiladeiro de Loussios, acolhe sete monges que recebem os visitantes com o típico café grego numa pequena capela de pedra. Um local especial e intocado que inspira a meditação.

8 – Província de Zelândia, Holanda

A província holandesa da Zelândia caracteriza-se pelo litoral com extenso areal e praias apoiadas por vastas dunas. No final do dia pode ver o pôr do sol sobre o mar enquanto desfruta uma tradicional cerveja holandesa. A localidade de Vlissingen, no sul da ilha de Walcheren, é um local a descobrir de bicicleta. O acesso pode ser através de Calais (fica a pouco mais de duas horas de distância e pelo caminho pode fazer-se uma paragem em Bruges) ou então de comboio a partir de Roterdão ou Amesterdão.

9 – Ardenas, Bélgica

O lado belga das Ardenas é ideal para passeios entre colinas, florestas e rios. Um local sempre repleto de bucólicas vilas com paisagens deslumbrantes. A típica cerveja belga não pode faltar, já que este é o lar da cerveja desenvolvida por monges de Rochefort. E existem muitas cervejarias ao estilo da Abadia escondidas pelas florestas, por entre os trilhos pedonais e ciclovias.

10 – Sarajevo, Bósnia-Herzegovina

Sarajevo começa a ganhar destaque nas rotas turísticas europeias, mas por enquanto ainda está a salvo do turismo de massas. A cidade renasceu das cinzas após a guerra civil da década de 1990. Também conhecida como a “Jerusalém da Europa”, está repleta de mesquitas e igrejas. O seu estilo antigo, com vielas estreitas e as ruas comerciais do antigo bazar otomano de Baščaršija cheias de cafés, fazem de Sarajevo uma verdadeira festa para os sentidos.

Comentários