Há três start-ups portuguesas na mais recente lista do IE Govtech 2020 que identifica as 100 melhores start-ups, scale-ups e PME digitais que fornecem soluções para os grandes desafios dos governos ibero-americanos.

Unbabel, Heptasense e HealthySystems integram a lista do IE Govtech 2020  que contém informações sobre as 100 melhores start-ups, scale-ups e PME digitais, que fornecem soluções para os grandes desafios dos governos ibero-americanos. São soluções que podem ajudar a prevenir o bullying nas escolas, a melhorar a experiência do paciente em hospitais, a simplificar a gestão e a operação das cidades ou a garantir a acessibilidade tecnológica a todos os serviços administrativos para pessoas com deficiência.

A portuguesa Unbabel integra a categoria de Prestação de Serviços públicos que inclui tecnologias que melhoram e facilitam a prestação de serviços públicos, como saúde, educação, segurança, mobilidade, gestão de resíduos, assistência ou emergência. Muitas dessas soluções estão focadas em melhorar a experiência do cidadão como utilizador final do serviço público. Já a Heptasense e HealthySystems integram a categoria Infraestrutura Digital que destaca práticas administrativas e que visa solucionar problemas de interoperabilidade para interconectar sistemas de informação, a generalização da identidade digital e a proteção de dados pessoais.

A Public Tech Lab da IE University de Espanha realizou um intenso trabalho para identificar as start-ups govtech existentes nos principais mercados empresariais da América Latina (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Uruguai), Espanha e Portugal. As soluções identificadas foram classificadas em quatro categorias: Prestação de Serviços Públicos; Gestão e Integridade Públicas, Infraestrutura Digital e Qualidade Democrática.

Todas as start-ups identificadas têm tração no mercado e o seu status de maturidade varia de start-ups com primeiros clientes a scale-ups consolidadas e com investimentos que em alguns casos ultrapassam os 30 milhões de dólares (28 milhões de euros). Os seus modelos de negócios são diversos, desde start-ups com clientes exclusivamente públicos a empresas com modelos mistos com clientes públicos e privados.

A maioria das soluções concentra-se em melhorar a prestação de serviços (37%) e a gestão pública (31%), o que indica que as start-ups e as PME digitais podem fornecer um grande valor, especialmente no atendimento ao cidadão e na operação e na tomada de decisões diárias dos funcionários públicos.

Entre as categorias ou setores de atividade que se destacam na lista, encontramos a Saúde ou Educação, e outras que adquiriram grande importância nos últimos anos, como participação e transparência na categoria Governo Aberto.

Outra das características identificadas nesta lista é a importância do trabalho baseado em dados, com um grande número de start-ups a disponibilizarem soluções para explorar, analisar ou representar padrões de extensos conjuntos de dados e de diferentes fontes, que ajudam instituições públicas a prever comportamentos, a identificar ineficiências, a informar todos os tipos de políticas e a avaliar as decisões tomadas.

A Lista IE Govtech 2020 destaca 59 empresas espanholas, 11 chilenas, nove colombianas, sete mexicanas, cinco argentinas, cinco brasileiras, três portuguesas e 1 uruguaia.

Pode consultar a lista completa em https://www.govtechchallenge.es/.

lista do IE Govtech 2020

 

Comentários