Soft skills são as combinações de habilidades sócio-emocionais, de comunicação, de conduta e caráter associados à atributos que permitem à pessoa se desenvolver melhor que outras no ambiente de trabalho.

Essas habilidades comportamentais são indispensáveis para treinamentos em estratégias de negociação, resolução de conflitos, vendas, tomada de decisões, no relacionamento com outros profissionais, na produtividade da equipa de trabalho e ferramentas essenciais para o crescimento profissional nesse complexo, rigoroso e competitivo ecossistema do mundo corporativo, seja ele público ou privado.

Desta forma, os soft skills são os alicerces, a fundação da estrutura pessoal que será determinante se um profissional irá se destacar numa equipa, se ele se tornará líder, se crescerá para uma posição de destaque dentro da empresa em que trabalha ou deseja trabalhar.

Em contrapartida, os hard skills são competências técnicas, normalmente aprendidas na universidade, como ferramentas de trabalho, domínio do pacote Office e de línguas estrangeiras para uma secretária executiva, do Photoshop, para um designer gráfico, por exemplo, ou o domínio do conhecimento das técnicas cirúrgicas para um médico cirurgião, ou dos códigos civil e penal para um advogado.

Atualmente deparamo-nos constantemente com profissionais com um diploma universitário debaixo do braço, mas que não sabem o que fazer com ele, pois não conseguem prosperar em empresa alguma. Hoje, os hard skills aprendidos na universidade não são suficientes para o sucesso do profissional do terceiro milénio.

Portanto, aprender soft skills tornou-se mandatório para quem deseja prosperar no ambiente de trabalho e esse processo de aprendizagem de “habilidades suaves” é fundamental no desenvolvimento de competências sócio-emocionais que possivelmente serão determinantes na carreira profissional do indivíduo.

Desenvolvido pelo Dr. Howard Gardner, professor da Harvard Graduate School of Education e criador da teoria da inteligências múltiplas, a inteligência intrapessoal é um exemplo de soft skill que dificilmente é ensinado na universidade. Definida como a capacidade de conhecer a si mesmo e utilizar plenamente as próprias competências, uma pessoa com boa inteligência intrapessoal deve ser capaz de acessar as suas emoções e pensamentos com clareza, sendo capaz também de entender as motivações, desejos e ações dos outros.

Outra competência importante, a Inteligência interpessoal trata do conhecimento em relação às outras pessoas, incluindo suas motivações e valores, pois é a característica humana que facilita com que possamos nos relacionar positivamente com outras pessoas, gerando relacionamentos mais harmoniosos e propiciando o aumento do desempenho produtivo e de trabalho em uma equipe de uma corporação, por exemplo.

Assim, o treinamento em habilidades interpessoais ou sociais contribui para a melhoria da cultura organizacional da empresa, melhora do clima laboral, da motivação e produtividade do time de trabalho. A postura ética é enfatizada, associada a ganhos nas habilidades de comunicação e harmonização do ambiente de trabalho, importantíssimo para gestores e funcionários de qualquer instituição, pública ou privada. Estratégias de habilidades sociais em comunicação verbal e não-verbal, linguagem corporal e estratégias de etiqueta, vestimentas, postura, por exemplo.

Outras “habilidades suaves” importantes estão relacionadas à criatividade, flexibilidade, adaptabilidade, empatia, eficiência, assertividade, estratégias de pensamento para inovação, design thinking, técnicas de gestão de tempo, planeamento de prioridades, produtividade, organização de trabalho e planeamento pessoal.

A vanguarda do treinamento em soft skills aborda também o conhecimento da psicologia positiva, um movimento recente que visa uma visão mais aberta e apreciativa dos potenciais, das motivações e das capacidades humanas, enfatizando mais a busca pela felicidade humana que o estudo das doenças mentais.

Outro treinamento em soft skills envolve o conhecimento e prática de Mindfulness, um estado mental de controle sobre a capacidade de se concentrar nas experiências, atividades e sensações do presente. Traduzido em português como “Atenção Plena” ou “Consciência Plena”, o mindfulness se populariza como uma intervenção focada na busca por alívio do stress do dia a dia, além de ajudar a melhorar as capacidades mentais da pessoa.

Não é à toa que as principais business schools do planeta, incluindo a Harvard University, Massachusetts Institute of technology, Columbia University e Stanford University estão empenhadas em programas de MBA focados em soft skills.

Esse movimento académico também esta chegando em países de língua portuguesa, como Brasil e Portugal, através da escola de negócios como o BBI of Chicago, por exemplo, que criou recentemente o primeiro programa de MBA em Soft Skills da América Latina.

Então, afinal, vamos de soft skills!

Comentários

Sobre o autor

Avatar

É médico, mestre em Educação Especial pela Framingham State University, cofundador e diretor-executivo do Child Behavior Institute of Miami nos Estados Unidos. Atua como palestrante internacional nas áreas de inclusão e educação especial, e é um dos responsáveis pela popularização... Ler Mais