Consultora financeira lança site para ajudar empresas a saberem que medidas podem adotar durante a pandemia e oferece ainda uma bolsa de 150 horas de trabalho dos seus consultores a instituições do terceiro setor sem fins lucrativos, como ONG e IPSS.

A consultora financeira GlobalWe acaba de desenvolver o site Apoio Empresas Coronavírus, cujo objetivo é ser um portal de informação económico-financeira atualizado diariamente para ajudar as empresas a se reestruturarem e a usufruírem dos apoios públicos disponíveis a cada momento.

De acordo com o managing partner da empresa, Paulo Garrett, “o Apoio empresas Coronavírus foi criado com a missão de informar gratuitamente todas as empresas para que estas consigam obter as principais soluções disponíveis para fazer fase à atual crise pandémica e que gostaríamos fosse uma referência durante este período”.

A Globalwe envolveu uma equipa especializada para recolher e analisar a informação disponível a cada momento, com vista a ajudar os gestores de empresas a tomar as melhores decisões para os seus negócios.

O site conta com uma área de artigos de análise sobre os principais apoios à atividade financeira e uma área de consultório de perguntas & respostas, já com várias respostas a questões pertinentes do interesse para os gestores de empresas. Em breve prevê-se que surjam mais áreas como FAQs e Podcast, adianta a consultora.

Quem pode pedir adiamento das contribuições sociais? Quanto tempo dura este novo regime simplicado de lay-off? No lay-off as empresas continua a pagar Segurança Social? Encontra resposta a estas e a outras questões no novo site da Globalwe.

Numa segunda fase, as empresas em conjunto com as equipas especializadas da Globalwe poderão desenvolver estratégias personalizadas que garantam a sua sustentabilidade financeira. Só assim será possível ter empresas mais robustas financeiramente e bem preparadas para o próximo ciclo de crescimento económico, explica a empresa em comunicado..

Como contributo para apoiar o país nesta fase de crise, a Globalwe oferece ainda uma bolsa de 150 horas de trabalho dos seus consultores para apoiarem gratuitamente instituições do terceiro sector sem fins lucrativos, como ONG, IPSS, entre outros, na organização, planeamento e orçamentação de necessidades financeiras e, se tal for necessário a reestruturação da sua atividade de apoio aos portugueses e às suas famílias. Trata-se de um investimento estimado em mais de 20 mil euros.

Comentários