Fazer passeios na Ria de Aveiro a bordo de uma embarcação movida a energia solar, silenciosa e compatível com a natureza do local, é o projeto turístico que uma dupla de empreendedores locais está idealizar. Procuram um investidor que se junte ao projeto.

Gabriel Conceição foi o skipper da Gaivinha (embarcação movida a energia solar) e promotor da marca Sterna até ao final de 2018. Contudo, atento às potencialidades deste tipo de embarcação a energia solar no domínio do turismo ecológico e sustentável, lançou o desafio a Rui Costa, financial controller, para continuarem ambos a dinamizar a marca Sterna.

A ideia é alargar o âmbito de atuação temporal da embarcação (atualmente propriedade de outra empresa que explora estes passeios), pelo menos nove meses por ano, assim como entrar em mercados pouco explorados como o birdwatching e da investigação biológica.

Com esta ideia em mente, os dois empreendedores idealizaram negócio que consiste em realizar passeios na Ria de Aveiro a bordo de uma embarcação (com capacidade para 10 passageiros e 2 tripulantes) movida a energia solar, não poluente, silenciosa e totalmente compatível com a natureza selvagem e agreste da Ria da Aveiro. As famílias e empresas que pretendam realizar viagens, aproveitando os cerca de 6 mil hectares cobertos de água da Ria e visitar algumas das zonas mais selvagens, “num passeio com forte carga ecológica e diferente do tipo de passeios de barco que são atualmente feitos nos canais dentro da cidade de Aveiro”, são o target do projeto, que assume uma forte componente ecológica, biológica e sustentável

Área de atuação
As hipóteses de rentabilização do negócio são várias, com explicou Rui Costa, o sócio responsável pela parte financeira. Turismo ecológico e sustentável, nas vertentes famílias e empresas, e ainda a atividade de birdwatching (cujo turista-tipo são pessoas preocupadas com a natureza e com bom poder de compra, provenientes, sobretudo, do Norte da Europa, EUA e Austrália) e científica (em parceria com a Universidade de Aveiro) são algumas das áreas em que os mentores do projeto esperam atuar. Em todas elas, sempre com um denominador comum: o respeito pela natureza envolvente. As potencialidades do projeto, de acordo com os responsáveis, são inúmeras e a procura dos operadores turísticos locais comprovam a recetividade a esta nova forma de conhecer a Ria de Aveiro.

Próxima etapa
Neste momento, procuram um investidor disposto investir uma verba na ordem dos 50 mil euros ou para a compra das quotas da empresa que atualmente é proprietária do barco e detentora da marca Sterna (empresa essa que já detêm as licenças de navegação e de turismo necessárias à atividade), ou então para investir numa embarcação nova e criar uma empresa de raiz. Seja qual for a alternativa seguida, a opção de adquirir uma nova embarcação em 2021, faz já parte deste projeto.

A estrutura será constituída por dois sócios: Gabriel Conceição, 33 anos, piloto de pequenas embarcações movidas a energia solar e conhecedor da fauna e flora na Ria de Aveiro; Rui Costa, 42 anos, financeiro, com larga experiência em gestão de empresas, dos mais variados setores de atividade, inclusive com experiência em start-ups; a que se juntará também um ajudante na parte operacional.

O modelo de negócio previsto para este projeto envolve a criação de parcerias com diversos players da área hoteleira, turística, desportiva e da restauração da região de Aveiro, e a oferta de seis rotas, cada uma com as suas particularidades.

Resumo:
Responsável: Gabriel Conceição / Rui Costa
Área: Turismo Ria de Aveiro
Produto: Embarcação
Mercado: Nacional
Necessidade: Investidor
Contacto: conceicao.gabryel@gmail.com

Comentários