Sabia que em Portugal já foi proibido usar isqueiro sem licença? Que as mulheres só podiam viajar com a autorização dos maridos nem podiam ter um passaporte individual? Estes são alguns exemplos da realidade nacional do início do século XX, retratados no livro de António Costa Santos.

Do que fala
“Uma viagem às proibições do tempo da outra senhora”. É este o foco do mais recente livro de António Costa Santos que traz para os dias de hoje uma realidade desconhecida por muitos, mas ainda bem presente na memória das gerações mais velhas.

Numa edição da Guerra & Paz, o “Era Proibido” faz uma viagem ao passado recente da nossa sociedade para recordar uma diversidade de comportamentos e situações que estavam vedadas aos portugueses. Em Portugal já foi proibido dar um beijo na boca em público, as mulheres não podiam viajar sem autorização escrita dos maridos, as enfermeiras não podiam casar e os atos exibicionistas atentatórias da moral eram punidos com coima e a cabeça rapada. Ao longo de mais de 200 páginas, de pesquisa histórica, António Costa Santos transporta o leitor para uma realidade e uma sociedade muito diferente da que conhecemos na atualidade.

Quem escreveu
O autor do “Era Proibido” é jornalista e atualmente colabora com a Antena 2. Ao longo da sua carreia, que começou em 1976, passou publicações como Se7e, onde foi chefe de redacção, e pelo Expresso, onde, durante cinco anos, assinou “Estado de Sítio”, uma rubrica dedicada a questões da vida quotidiana.
Além da faceta jornalística, António Costa Santos também é escreve guiões para cinema e televisão. No domínio da escrita, é ainda autor de vários livros, entre os quais “Porto vs. Lisboa – Uma Batalha Campal em Livro” (em coautoria com António Eça de Queiroz),” Herman – O Verdadeiro Artista”, “Diário de Um Gajo Divorciado em Tempos de Crise”, “O Novo Livro das Inutilidades” e “10 Razões Para Amar e Odiar Portugal”.

Temas chave
Sociedade, hábitos culturais, vida.

Ficha Técnica
Título: Era proibido
ISBN: 9789897024849
Edição: junho 2019
Editora: Guerra & Paz
Idioma: Português
Encadernação: Capa mole
Páginas:  216

Comentários