Entrevista/ “O nosso objetivo é revolucionar a gestão de restaurantes em todo o mundo”

Arnau Navarro, cofundador e CEO da haddock

“A haddock é um projeto “filho” da pandemia, que nasceu em Espanha para dar resposta à crise económica que se fez sentir no setor da restauração”. É desta forma que Arnau Navarro explica a origem desta start-up que criou em 2020 com os também empreendedores Pol Rosell e Carlos Marchal. Agora está a instalar-se no mercado português para facilitar a vida à restauração nacional, afirma o seu CEO Arnau Navarro em entrevista ao Link To Leaders.

Presente em Portugal há cerca de dois meses, a plataforma espanhola haddock já conseguiu que mais de 100 restaurantes se interessassem pela solução que criaram e e queiram mudar os seus procedimentos de gestão e controlo de custos. A plataforma que permite aceder a todas as faturas e notas de entrega a partir de qualquer dispositivo, assume como prioridade “poupar tempo de gestão aos proprietários dos restaurantes e transformá-lo em tempo valioso para os seus clientes, para a sua cozinha e para eles”, assegura Arnau Navarro, CEO e um dos cofundadores da start-up, para quem, revelou, “o nosso objetivo é aterrar fortemente em Portugal”.

O que é a haddock? Qual a sua proposta de valor?
É a primeira plataforma europeia de gestão inteligente de custos para restaurantes. O software digitaliza faturas e notas de entrega com apenas uma fotografia, proporcionando uma visão global do negócio em tempo real. Os proprietários de restaurantes poderão assim reconhecer as variações de preços, conciliar documentos e consultar a margem do seu estabelecimento a partir de qualquer dispositivo.

Onde nasceu o projeto e quem são os fundadores?
A haddock é um projeto “filho” da pandemia, que nasceu em Espanha para dar resposta à crise económica que se fez sentir no setor da restauração. Pol Rosell geria um restaurante quando, em março de 2020, se viu obrigado a fechar portas. Ao testemunhar a incerteza global, pensou numa solução que pudesse ajudar o setor da restauração e juntou-se a mim, que tenho experiência em start-ups e projetos digitais, e a Carlos Marchal, que teu um perfil mais técnico e tecnológico.

Começámos por fazer um estudo quantitativo e qualitativo do setor para conhecer e compreender as suas necessidades e apercebemo-nos de que os proprietários de restaurantes perdiam muito tempo a executar manualmente todas as tarefas relacionadas com a gestão de custos, o que lhes impossibilitava fazer previsões e estar sempre a par do negócio. Nesse sentido, encontrámos a necessidade e, sobretudo, a oportunidade para criar um SaaS – Software as a Service – que trouxesse valor à digitalização do setor e que profissionalizasse o day by day dos proprietários dos restaurantes.

A haddock tem investidores ou nasceu de capitais próprios?
Temos vários investidores, tanto individuais como investidores de capital de risco. A nossa aventura começou com muito esforço da nossa parte, da nossa família e dos nossos amigos. Desde o primeiro dia, todos acreditaram no valor da plataforma e hoje podemos dizer que o financiamento fornecido por fontes externas nos ajudou a melhorar as operações internas e, consequentemente, permitiu dimensionar o produto até aos dias de hoje.

“No início deste ano fechámos uma ronda de investimento de mais de 1 milhão de euros, com o apoio de investidores como YCombinator(…)”.

Já fizeram ou planeiam fazer alguma ronda de investimento?
No início deste ano fechámos uma ronda de investimento de mais de 1 milhão de euros, com o apoio de investidores como YCombinator, a maior aceleradora do mundo, a Zone2Boost, a JME, LevelsUp, Extension Fund e outros agentes do setor da restauração. A Y Combinator, a aceleradora de start-ups de Silicon Valley, selecionou-nos como uma das empresas mais promissoras do mundo e temos vindo a implementar todas as aprendizagens em várias áreas da empresa desde há mais de três meses.

Neste momento, em que mercados estão presentes?
O nosso primeiro mercado é Espanha, mas também já estamos presentes em Portugal e já temos clientes no México e na Colômbia. Além disso, já abrimos mercados noutros países da América Latina, como o Equador, o Peru, a Costa Rica e o Chile. O nosso objetivo é revolucionar a gestão de restaurantes em todo o mundo através da nossa solução eficaz para o controlo de custos.

“Antes de começarmos a haddock, detetámos um problema comum: a falta de controlo e a má gestão dos custos dos restaurantes”.

Qual o perfil dos vossos principais clientes?
Adaptamo-nos às necessidades de todos os restauradores. Temos uma plataforma tanto para quem tem uma pequena cafetaria que serve uma aldeia com poucos habitantes, como para quem gere vários restaurantes com diferentes volumes. Antes de começarmos a haddock, detetámos um problema comum: a falta de controlo e a má gestão dos custos dos restaurantes. Os negócios quotidianos significam que muitos não passam tempo suficiente a controlar as despesas do estabelecimento e, a longo prazo, isto leva a muitas perdas fantasma porque não são contabilizadas. As empresas Horeca precisam de digitalizar os documentos que recebem diariamente dos seus fornecedores, controlar as variações de preços dos produtos que compram, conciliar faturas e notas de entrega em busca de possíveis erros, e de conhecer em tempo real o estado do seu negócio.

As pequenas empresas, geralmente cafés ou padarias, utilizam a aplicação para digitalizar rapidamente faturas e notas de entrega e podem aceder aos documentos a partir de qualquer dispositivo. A aplicação permite aos grandes restaurantes, ou àqueles com um grande volume de produtos e, portanto, faturas e notas de entrega, ter uma visão geral do negócio e, acima de tudo, visualizar as variações de preços dos produtos. Temos uma funcionalidade única no mercado europeu que se adapta a qualquer cliente.

“Em Espanha (…) cada vez mais restaurantes estão a descobrir em nós uma verdadeira aposta para um problema que conheciam (…). Acreditamos que em Portugal o caminho será o mesmo”.

Quais os objetivos da haddock para o mercado português?
Queremos ajudar todos os restaurantes a melhorar o controlo de custos com uma aplicação simples, que com apenas uma fotografia permite digitalizar faturas e notas de entrega, bem como armazená-las na cloud. Desta forma, os restauradores podem consultá-los onde quiserem. Em Espanha, estamos a crescer exponencialmente e cada dia e cada vez mais restaurantes estão a descobrir em nós uma verdadeira aposta para um problema que conheciam, mas para o qual não tinham encontrado uma solução. Acreditamos que em Portugal o caminho será o mesmo.

Qual o target que pretendem atingir em termos de restauração?
O nosso objetivo é poder ajudar todos os restaurantes a otimizar o seu controlo de custos, independentemente da sua dimensão, modelo de negócio ou localização. Em Espanha, já temos mais de 300 restaurantes e todos os dias estamos a acrescentar cada vez mais pessoas interessadas na solução. Em Portugal, em menos de 2 meses, conseguimos obter mais de 100 restauradores que querem mudar a sua gestão e estão dispostos a ouvir o que podem alcançar com haddock. Queremos ajudar todos os restaurantes que queiram fazer parte da nova forma de gerir o controlo de custos.

E o que é que os pequenos negócios podem esperar da vossa oferta?
Qualquer tipo de negócio do setor da restauração pode esperar ajuda na gestão de custos. Somos o parceiro ideal dos pequenos negócios, porque criámos uma plataforma onde é possível aceder a todas as faturas e notas de entrega a partir de qualquer dispositivo. Além disso, oferecemos-lhe uma visão geral do seu negócio, ajudando-os a dedicar tempo ao que realmente precisa: o cliente.

Qual a vossa principal concorrência?
A nossa aplicação única na Europa. Utilizamos tecnologia de OCR, Optical Character Recognition, e Inteligência Artificial para digitalizar a informação em documentos e entregá-la de forma dinâmica e em tempo real. A nossa prioridade é poupar tempo de gestão aos proprietários dos restaurantes e transformá-lo em tempo valioso para os seus clientes, para a sua cozinha e para eles.

“(…) nosso objetivo é aterrar fortemente em Portugal e consolidar a nossa aplicação no mercado latino-americano”.

Em que outros mercados pretendem entrar?
O nosso objetivo é revolucionar a gestão de custos no maior número possível de restaurantes. Começámos em Espanha, onde já temos mais de 300 restaurantes, mas o nosso objetivo é aterrar fortemente em Portugal e consolidar a nossa aplicação no mercado latino-americano. Um mercado com necessidades semelhantes às da Península Ibérica, uma digitalização do setor em pleno crescimento e um interesse crescente em melhorar os processos de gestão.

“A pandemia veio provar a fragilidade que um negócio pode ter por vezes (…)”.

De que forma espera que a vossa solução impacte e ajude ao crescimento do setor da restauração em Portugal?
Esperamos que venha contribuir para o crescimento do setor da restauração em Portugal e a ser um aliado de todos os seus proprietários que, na sua maioria, são pequenas e médias empresas. A pandemia veio provar a fragilidade que um negócio pode ter por vezes e, nesse sentido, devemos antecipar soluções que nos permitam não só sobreviver como crescer no futuro.

São muitos os restaurantes típicos em Portugal onde a tradicionalidade é visível na sua oferta gastronómica, mas também na forma de conduzir o negócio, mas a digitalização de processos pode fazer a diferença. A digitalização de tarefas ditas básicas do dia a dia de um proprietário de restaurante vem permitir-lhes melhorar o seu negócio e poder decidir sobre ele com base em informações atualizadas, organizadas e dadas em tempo real. Ora, se a nossa solução permite um maior poder e controlo sobre um negócio, só poderá resultar numa melhoria e crescimento de um setor.

Que objetivos têm no que respeita ao desenvolvimento de novas funcionalidades na plataforma? Alguma inovação em carteira este ano?
Estamos continuamente a melhorar o produto para podermos adaptar-nos às necessidades e exigências dos nossos utilizadores e do mercado. Falamos com eles de forma recorrente para oferecer algo que se ajuste e resolva todos os problemas que giram em torno da gestão dos seus negócios.

Nesse sentido, criámos recentemente uma versão mais simples, mais intuitiva, orientada para dar prioridade ao processo de tirar uma fotografia dos documentos a serem digitalizados. Por outro lado, incorporámos novas integrações com POS para que os utilizadores possam ligar as suas vendas com haddock e ter uma visão real do estado do seu negócio. Diariamente, incorporamos melhorias no módulo de Produtos para melhorar a experiência do utilizador. Além disso, a equipa de Produtos está a desenvolver uma funcionalidade que nos permitirá calcular o custo total de cada prato, tendo em conta o preço dos produtos existentes na plataforma, uma novidade que marcará um antes e um depois no setor da restauração.

Na vossa opinião, de que forma a tecnologia está a transformar o negócio da restauração?
Há muitos negócios neste setor que seguem modelos de gestão tradicionais assentes em tarefas manuais que lhes tiram tempo que poderia ser aproveitado para acrescentar mais valor ao seu negócio. A tecnologia vem permitir profissionalizar o seu negócio através da otimização de processos, o que irá impactar positivamente o setor, com proprietários mais atualizados, maior controlo e poder de decisão estratégica sobre o seu negócio.

Comentários

Artigos Relacionados