Após vários meses de incerteza e entre confinamento e desconfinamento, a verdade é que muitas das pessoas com que falo, chega ao tão desejado período de férias, ainda mais cansados.

O excesso de tempo de ecrã, associado à falta de atividade física, em que mudo de reuniões sem sair do lugar, deixou-nos exaustos. Se a tudo isto, associarmos um elevado nível de incerteza relativamente à forma como a situação vai evoluir, bem como o potencial impacto que pode ter para cada um de nós, podemos afirmar que estamos perante uma situação bastante singular da nossa história.

No meio deste turbilhão, nas minhas interações de coaching, apercebo-me que muitas pessoas se estão a questionar sobre qual a melhor forma de se posicionarem perante esta nova realidade. É também notório que muitas delas se sentem completamente desorientadas, enquanto outras olham para esta situação como uma oportunidade para se reinventarem.

Se olharmos para estes dois perfis apercebemo-nos que representam dois tipos de mindset (enquadramento mental): enquanto as primeiras têm um fixed mindset, as segundas têm um growth mindset. Ter um growth mindset, implica ser curioso e um estudante para a vida. São pessoas que no dia a dia, procuram tornar-se a melhor versão de si próprias, olhando para um desafio como uma oportunidade, e para quem a falha faz parte do processo de aprendizagem. Já as pessoas com fixed mindset são aquelas que procuram a aprovação. Para elas, a definição de sucesso passa por serem elogiadas por aquilo que conseguem ser hoje, estando pouco recetivas para integrarem feedback e apostarem no seu desenvolvimento.

Se pensarmos no sistema educativo e na existência destes dois tipos de mindset, faz-nos equacionar a forma como avaliamos os alunos hoje. Será que não os estamos a limitar, quando em vez de lhes darmos novos desafios, os ancoramos no sucesso ou insucesso que têm hoje? Não deveria a ênfase estar no seu potencial de desenvolvimento, em vez de se promover a necessidade de reconhecimento e aprovação?

Já ao nível das empresas, creio que todos estamos de acordo que existe um enorme trabalho a fazer neste domínio, a começar pela existência de líderes que saibam dar feedback e promover o crescimento. Contudo, não é nas empresas que gostava de me focar hoje. Parece-me ser mais interessante que o foco esteja ao nível de cada um de nós.

O que é que eu posso fazer para desenvolver um growth mindset, que me permita tirar partido da situação em que me encontro? Entre outras possibilidades gostava de salientar as seguintes:

1. Olhe para um desafio como uma oportunidade: o princípio do crescimento passa por não ficar bloqueado, privilegiando a busca do conhecimento e desenvolvimento; 

2. Defina objetivos: a definição de objetivos obriga-nos a focar no essencial e evita que elementos externos a nós, possam ser elementos de distração; 

3. Partilhe o plano: quando partilhamos o plano ele torna-se mais real. Já não é apenas um compromisso que tenho para comigo. Ao verbalizar, o plano torna-se uma intenção; 

4. Procure feedback em vez de aprovação: ao partilhar o seu plano procure fazê-lo com pessoas que poderão ajudá-lo no seu processo de desenvolvimento. Seja claro que quer ser desafiado, e que espera que o feedback o ajude nesse processo; 

5. Tenha um diário: reflita e anote diariamente o que está a aprender com este processo. O processo de reflexão ajuda-nos a ganhar consciência de quem somos e em que áreas temos que apostar para continuar a crescer; 

6. Defina um novo objetivo, por cada um que atinja: lembre-se que ter um growth mindset significa crescimento contínuo e não busca de aprovação. Se quer continuar a crescer, evite ficar ancorado no sucesso do momento. 

7. Celebre falhas: só não falha quem não arrisca o suficiente. Celebre o facto de ter tido a coragem de arriscar e retire a aprendizagem desta falha. 

8. Altere a linguagem: na conversa que tiver consigo próprio privilegie a palavra ainda.
Não consegui… ainda! 

9. Foque-se no processo e não no resultado: mais importante dos objetivos que atinge a desenvolver o mindset correto, que permite desafiar-se e crescer.

E para si, que pode estar a entrar no merecido período de férias, gostava de o desafiar a perceber qual o seu tipo de mindset e o que se propõe a fazer para tornar desafios em oportunidades!

Comentários

Sobre o autor

Avatar

Anabela Possidónio tem uma certificação de coaching pela New Ventures West, uma das melhores escolas de coaching dos EUA, é Associated Accredited Coach (ACC) pela ICF, tem um MBA pela Católica e é licenciada pelo ISEG. No seu trabalho como... Ler Mais