No ano em que assinala 61 anos de atividade, o Aero Clube da Costa quer construir uma operação mais sustentada. Para tal, procura parceiro que ajude a dinamizar o espaço no Aeródromo de Espinho.

O Aero Clube da Costa Verde (ACCV) é, desde 1958, o local escolhido por um grande número de apreciadores e praticantes das modalidades aéreas. Atualmente tem os olhos postos num futu­ro que poderá passar pela criação de um polo do setor aeronáutico no Aeródromo de Espi­nho, situado na Freguesia de Paramos e que dispõe de uma área que vai da Barrinha de Esmoriz até à Praia de Silvalde.

O anúncio foi feito por Pedro Silva, presidente do ACCV, que cumpre o mandato 2018-2021, em entrevista ao Diário de Aveiro. O responsável adiantou que está à procura de um parceiro empresarial “para constituir uma sociedade de exploração comercial”.

Tendo em conta que o ACCV é o “operador do aeródromo”, o dirigente garante que há ali espaço, a vários níveis, para constituir um aglomerado de ativi­dades. Desde os voos à realização de corridas de automóveis, passando pela construção de hangares, drones e manutenção aeronáutica. O espaço também poderá acolher espetáculos e corridas de cavalos.

Atualmente, o ACCV conta com centena e meia de sócios e possui quatro aviões, dos quais três estão em condições de voar.

Resumo:
Responsável: Pedro Silva
Área: Hipismo/Aeromodelismo
Produto: Aero Clube da Costa Verde
Mercado: Nacional
Necessidade: Parceiro
Contacto: geral@accv.com
Site: https://aeroclubecostaverde.wordpress.com/

Comentários