Medir como o trabalho está a evoluir à medida que o mundo muda, foi o objetivo da nova edição do estudo Work Trend Index Report 2.0, da Microsoft.

A Microsoft apresentou ontem o segundo relatório sobre o seu novo Work Trend Index Report, uma análise que explora as tendências e as mudanças no trabalho remoto e que teve por base pesquisas efetuadas nos últimos meses.

As conclusões do relatório revelam que, globalmente, a situação atual está a alterar o conceito de trabalho. Relativamente às tendências do trabalho remoto constata que: há uma relação entre as videochamadas e a fadiga laboral, na medida em que o trabalho remoto pode ser mais desafiador do que o trabalho presencial; há uma alteração da cultura do local de trabalho, sendo que as Gerações Z e Millenium são as mais afetadas com a nova realidade; o futuro do trabalho das 9h às 17h sofreu alterações, uma vez que se praticam horários mais alargados, por exemplo, as conversas entre equipas no sábado e no domingo aumentaram mais de 200%;  e, por último, conclui que os escritórios físicos não vão desaparecer, ou seja, mesmo não voltando ao ponto que nos encontrávamos, o trabalho no futuro será um misto entre o remoto e o presencial.

A diretora da Unidade de Negócio de Colaboração e Segurança da Microsoft Portugal, Teresa Vírginia, afirmou que “as conclusões deste estudo permitem-nos trabalhar e apresentar hoje soluções inovadoras que ajudam na otimização do trabalho remoto”.

Teresa Vírgina referiu ainda que o novo mundo do trabalho será de certo híbrido, onde uns escolherão trabalhar no escritório, aprender em casa, mas mais ainda escolherão fazê-lo remotamente. Estamos a evoluir as nossas ferramentas para irem ao encontro das necessidades e desafios do trabalho e educação dos dias de hoje, mas também a prever as tendências e a inovar para o futuro”.

Comentários