O centro de negócios Lisboa Biz lançou um novo programa de apoio a empreendedores, o StartUP BIZ. Falámos com o Artur Salada Ferreira, administrador do centro, sobre esta nova incubadora.

Lisboa ganhou uma nova incubadora, que vem expandir o trabalho que o centro de negócios Lisboa Biz já desenvolvia desde 2014.

Para além do espaço de instalação da empresa, o StartUP BIZ integra um conjunto de serviços de apoio com vista ao crescimento sustentado da start-up, desde a criação e financiamento do negócio, aluguer de salas de trabalho, de reuniões e de formação, até apoio administrativo, contabilístico e jurídico.

Em entrevista ao Link To Leaders, Artur Salada Ferreira, administrador do centro de negócios de Lisboa, falou sobre esta nova aposta e os objetivos para o futuro.

Que balanço faz do trabalho desenvolvido pelo Lisboa BIZ?
Muito positivo. Não só pela ocupação elevada dos espaços (escritórios, salas de reuniões e salas de formação), como pela qualidade do serviço que conseguimos manter de forma sustentada.

Acabam de anunciar o lançamento de uma incubadora, a StartUP Biz, quando existe uma oferta já tão alargada de incubadoras em Lisboa. O que os levou a dar esse passo?
Este objetivo pessoal, que considero como uma missão, terá nascido no inicio dos anos 80, do século passado, quando, na qualidade de quadro da Control Data Corporation, visitei alguns BIC – Business Inovation Centers, que mais não eram do que os atuais ninhos ou incubadoras de empresas.

De que forma é que vão apoiar e facilitar o crescimento das start-ups que integrarem a incubadora e diferenciarem-se das demais incubadoras da cidade?
Estou plenamente consciente de que há muito dinheiro por aí a circular que é de todos nós e que consubstancia uma concorrência “desigual”.Somos um centro de negócios totalmente privado, sem subsídios, que vai procurar ajudar a crescer pequenos negócios que, por falta de meios financeiros ou humanos, não o conseguirão fazer sozinhos.

O centro de negócios Lisboa Biz abrirá as suas portas aos projetos que lhe sejam apresentados e que mereçam a aprovação para beneficiarem do pacote StartUP BIZ que inclui todos os serviços de apoio desde a criação da empresa, secretariado e apoio à gestão. Estamos em negociação com um banco para desfrutar de formas de financiamento em condições especiais para o StartUP BIZ.

Quais os custos envolvidos para as start-ups?
Aos candidatos cujo projeto mereça a aprovação do StartUP BIZ serão prestados todos os serviços, incluindo um posto de trabalho, pelo período de 6 meses sem encargos. Apenas deverá assinar um acordo que defina as condições a praticar após esses 6 meses, que serão progressivamente pagos até atingir o custo real no prazo de 12 meses.

Como vê a StartUP Biz daqui a 5 anos?
A imprevisibilidade local e global a que estamos condenados torna difícil prever a 5 anos. Posso, no entanto, apontar o meu desejo para os próximos 5 anos. Espero que metade do espaço da Lisboa Biz esteja ocupado por start-ups que nasceram no Lisboa Biz e que tenham uma participação ativa, mesmo financeira, da Arsofi, o proprietário do Lisboa Biz.

Como avalia as start-ups que estão hoje no Lisboa BIZ? Quais os setores mais representativos?
Nesta primeira fase do Lisboa Biz colocámos muito o enfoque nas parcerias entre empresas aqui sediadas, independentemente de serem ou não start-up. Este objetivo foi alicerçado em vários negócios realizados entre empresas aqui sediadas. O design, o marketing digital e a informática terão sido os que mais contribuíram com start-ups, mas sem o apoio estruturado que estamos agora a preparar.

E quais os que pretendem captar com a StartUP Biz?
Como não pretendemos recorrer a fundos públicos, mantendo exclusivamente privados os fundos a utilizar, temos consciência de que não podemos ambicionar grandes projetos e não pretendemos que sejam todos em áreas inovadoras. O StartUP BIZ tem condições para dar total apoio a uma pequena/média empresa em condições financeiras sustentáveis e de elevada qualidade.

Deixo um exemplo. Um jovem informático especializado em marketing digital quer lançar uma campanha de divulgação das suas capacidades e desenvolver o negócio. O que pode o StartUP BIZ fazer para o ajudar?

De imediato, o seguinte:
– Pôr ao seu serviço um secretariado de qualidade que fará os contactos com potenciais clientes;
– Informar os utilizadores do centro de negócios das condições especiais na utilização deste serviço;
– Apoio na elaboração do plano de negócios para eventualmente apresentar ao banco.
– Participar no capital da empresa, quer pela valorização dos serviços, quer mesmo pontualmente com a entrada de capital;
– Apoio na concretização e organização da empresa, incluindo a contabilidade;
– Até 6 meses de utilização de um posto de trabalho sem encargos.

Qual a taxa de sobrevivência das empresas que já passaram pelo centro de negócios?
Não temos essa informação, pois até à data não foi realizada essa monotorização, mas com o programa StartUP Biz isso passará a acontecer. Contudo, posso dizer que cerca 50% das empresas aqui alojadas estão connosco desde o início, em 2014.

O que falta hoje no ecossistema empreendedor português?
Portugal tem feito enormes progressos no apoio a projetos empresariais especialmente inovadores e as nossas exportações são bem o espelho dessa realidade. Contudo, há atividades tradicionais que estão a ser esquecidas, embora pareçam ainda ter mercado interno e externo.

Cabe aqui uma referência às fontes de financiamento que, no nosso caso, são os bancos (BCP e BPI) com formas tradicionais de financiamento e com condições que consideramos aceitáveis.

Respostas Rápidas
O maior risco: A imprevisibilidade de acontecimentos externos ao negócio.
O maior erro: Colocar todos os ovos na mesma cesta.
A melhor ideia: A que anda a bailar na nossa cabeça.
A maior lição: A união faz a força.
A maior conquista: Tornar cada utilizador num efetivo parceiro de negócio.

Comentários