A Google selecionou as oito start-ups que vai apoiar com o seu programa de aceleração. Conheça as eleitas neste artigo.

O Launchpad Accelerator, programa de aceleração da Google que decorre entre abril e junho deste ano, vai contar com oito start-ups brasileiras da área de machine learning – uma vertente da inteligência artificial que dota as máquinas com a capacidade de aprender.

A aceleração vai ocorrer nas instalações da gigante da Internet em São Paulo, no Google Campus. Para além do apoio, as start-ups poderão usufruir de vales entre os 20 mil e os 100 mil dólares para utilizarem os serviços do maior motor de busca global.

Para a edição deste ano, as selecionadas são:

Accountfy. Plataforma SaaS (Software-as-a-Service) que permite uma análise fácil aos balanços financeiros mensais das empresas. A start-up utiliza a inteligência artificial para agrupar números, realizar demonstrações, reduzir erros e automatizar processos que não geram valor à atividade diária da empresa.

Agilize. Também a atuar no mercado financeiro, a plataforma da Agilize permite, entre outras funcionalidades, controlar dados financeiros, contabilísticos, prever impostos, gerir notas fiscais.

Blue365. Negociar dívidas entre as pessoas e as empresas. Este é o core business da Blu365, que se assume como uma facilitadora entre as duas entidades e que utiliza machine learning para analisar o perfil dos clientes, das dívidas e sugerir melhores condições de pagamento.

Estante Mágica. “A maior plataforma de projetos pedagógicos do Brasil.” É desta forma que a Estante Mágica se apresenta. A start-up deixa que as crianças transformem as suas histórias em livros físicos e em e-books. Segundo dados do site, já foram publicados mais de 240 mil livros através deste serviço.

Gesto. Esta é a única start-up de healthtech desta lista. A inteligência artificial é utilizada para gerir planos de saúde empresariais. O objetivo passa por equilibrar as finanças das empresas com os cuidados de saúde dos funcionários.

Rebel. Neste caso, a inteligência artificial é utilizada para analisar o perfil de clientes da start-up que queiram empréstimos pessoais. Ao todo, são analisadas mais de 2 mil  variáveis com o objetivo de traçar as taxas de juros mais adequadas para o empréstimo.

Smarttbot. Numa altura em que se fala da automatização de processos e tarefas, a Smarttbot apresenta-se como uma ferramenta potencialmente útil para investidores. Esta start-up desenvolveu robots investidores que compram e vendem ações com base na estratégia de investimento de cada utilizador. O machine learning é usado para apurar a eficácia dos métodos empregados por cada investidor.

Social Miner. O objetivo desta equipa é tornar as conversas entre as empresas e os clientes mais eficaz com a finalidade de melhorar as taxas de registo, conversão e penetração. A inteligência artificial aparece na equação com a ideia de traçar o perfil de cada pessoa. O conceito é intitulado people marketing.

Comentários

Sobre o autor

Avatar