A Tero, que liga jovens futebolistas a clubes interessados, acaba de receber um investimento de um milhão de reais (220 mil euros), pelo que espera aumentar número de utilizadores e contratações.  Até ao momento, a plataforma já gerou oito contratações em clubes não divulgados no Rio de Janeiro, Lisboa e Nova Iorque.

start-up brasileira Tero acabou de ganhar um investimento semente milionário para promover a sua plataforma que liga jogadores de futebol a clubes.

A plataforma, ainda em fase de testes, regista já oito mil jovens atletas e oito contratações assinadas. O investimento apoiará as grandes ambições da Tero até o final de 2020: chegar até aos 500 mil utilizadores e gerar entre 800 a mil oportunidades de trabalho.

Os empreendedores Bruno Pessoa e Felipe Araújo fundaram há quatro anos a Next Academy, uma escola que preparava jogadores de futebol para conseguirem trabalho nos Estados Unidos. O projeto teve mais de mil atletas enviados a universidades americanas e mais de 30 franchisings em operação, no Brasil e em Portugal.

“Verificámos, porém, que o envio do atleta aos Estados Unidos era um modelo muito limitado, havia jogadores a quererem emprego em clubes nacionais. O modelo de franchising não permitia que tivéssemos um negócio tão exponencial quanto um software”, afirma Pessoa à revista brasileira Exame, que avança que só no Brasil existem cerca de 30 milhões de praticantes de futebol.

No final de 2018, os dois jovens criaram a Tero a partir de um investimento inicial de 150 mil reais (33 mil euros). A plataforma nasceu de um teste com mil inscritos, dos quais 96% disseram gostar de futebol e querer profissionalizar-se, mas não encontraram oportunidades para tal. Simultaneamente verificaram que os clubes conseguem atletas de forma manual, com olheiros a analisar jogadores em campos de futebol. “É um método atrasado, perante a tecnologia que temos disponível hoje”, diz Pessoa.

A Tero liga os atletas aos clubes de futebol. O jogador de futebol regista-se, colocando as suas experiências e um vídeo onde mostra as suas capacidades. Os treinadores independentes também se registam na plataforma e podem contactar os jogadores para avaliações presenciais ao nível das competências físicas, táticas, técnicas e psicológicas. Com base na observação, os treinadores preenchem mais detalhadamente o perfil dos atletas e dão aos clubes mais dados para a decisão de contratação.

A Tero tem oito mil atletas registados na plataforma, bem como 400 treinadores. Até ao momento já gerou oito contratações em clubes não divulgados no Rio de Janeiro, Lisboa e Nova Iorque. “O foco agora está em aumentar números de jogadores e treinadores. As oportunidades virão depois”, revelou Pessoa.

Comentários