Start-up brasileira acaba com o lixo dos eventos de rua e não só…

Com cerca de três anos de atividade, a brasileira Solos recicla o lixo que fica nas ruas depois dos eventos. No último Carnaval de Salvador da Baía evitou que 162 toneladas de lixo poluíssem o planeta.

A Solos é uma start-up brasileira que propõe “destinos inteligentes para os resíduos”, como dizem as suas fundadoras, as jovens Saville Alves e Gabriela Tiemy, na apresentação do projeto. A start-up adota diversas abordagens para diferentes targets como, por exemplo projetos, personalizados, já que analisa desde resíduos de eventos, a resíduos de escritórios, empresas ou condomínios e desenvolve a solução de impacto adequada para atender às necessidades destes diferentes ambientes.

Acredita ser possível reduzir até 80% o volume de lixo gerado, ao apresentar soluções eficientes de fazer a separação e a segregação correta dos materiais recicláveis e a compostagem dos resíduos orgânicos.

O tradicional Carnaval de Salvador da Baía é um exemplo da atividade desenvolvida pela Solos. Na edição de 2020, a última realizada devido à pandemia, a start-up evitou que 162 toneladas de lixo espalhados pelas ruas da cidade baiana fossem parar aos lixões e a aterros, ao reencaminhar esse lixo para cooperativas de reciclagem. Numa parceria com a Map Brasil, a start-up conseguiu recuperar o dobro do lixo que o município local tinha conseguido recolher na edição anterior. Com um orçamento de dois milhões de reais (equivalente a 350 mil euros), custeados pela Ambev, a start-up transformou lixo em plástico.

Este ano, e apesar de os desfiles de carnaval voltarem não se realizar, a Solos vai iniciar um outro projeto de grande envergadura, patrocinado pelo Nubank. Consiste na recolha sob encomenda de recicláveis, inicialmente, em dois bairros da cidade, concretamente garrafas de vidro, latas e outos itens que serão recolhidos por uma equipa de ciclistas.

Saville Alves explicou à imprensa brasileira que o objetivo da ação visa estimular o hábito de separar o lixo, uma etapa fundamental para a reciclagem ganhar força e para o projeto ser reciclado noutras cidades.

Desde a sua fundação, em 2018, a Solo já desenvolveu mais de 20 projetos em parceria com empresas como a Basf, a Heineken ou a Coca-Cola. Neste período, a evitou que mais de 500 toneladas de lixo fossem parar aos sítios errados e, por consequência, poluíssem rios e oceanos.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados