Roberto Branco, CEO da Beta Capital, uma das mais antigas sociedades de capital de risco nacionais que aposta essencialmente em projetos tecnológicos em fases iniciais, e Luís Moreira, cofundador da Bullet Solutions, uma start-up que desenvolveu um software para planear automaticamente os horários das universidades e das instituições de ensino superior, estiveram esta semana no Spe Futuri, Investidores. Reveja a conversa entre investidor e empreendedor.

 

Leia alguns headlines:

Roberto Branco

“2020 foi de facto um ano bastante atípico e bastante complexo. Tentámos, na medida do possível, manter a nossa atividade”.

“É difícil para as decisões de investimento, prescindir das reuniões frente a frente em que podemos interagir e avaliar melhor (…)”.

“Aquilo que se nota é que cada vez mais, a atividade de financiamento de capital de risco é invadida por estes meios que, se por um lado nos fazem perder alguma qualidade na comunicação, por outro lado também dão-nos uma facilidade e um acesso a um leque de projetos de oportunidades muito maiores do que anteriormente”.

“(…) O nosso objetivo é extrair o melhor de dois mundos e é aí que temos de nos posicionar (…). Há, no entanto, uma grande diferença entre o modo como os processos se desenvolvem agora e como eles se desenvolviam quando começámos”.

“(…) Quem sobrevive é a espécie que se adapta e os empreendedores que conseguiram adaptar-se e sobreviver são aqueles que melhor ultrapassaram crises, designadamente de emprego que houve há 10, 15 anos  (…) em que as pessoas tinham de criar o seu próprio emprego (…)”.

“A condição de sucesso de base continua a ser o espírito das pessoas, o querer fazer algo de diferente, o querer tomar risco, o querer afirmar-se num caminho (..)”.

“Acho que a grande diferença entre um projeto que vai ter sucesso e um projeto que vai ter insucesso é a qualidade das pessoas que o tentam levar a cabo e que o lideram. Essa qualidade mede-se numa correta avaliação dos problemas, dos riscos, porque sem uma correta avaliação não se tomam decisões corretas (…)”.

Luís Moreira

“Não somos nem queremos ser um software de abrangência de gestão académica. Pretendemos focar-nos e posicionar-nos numa peça desse puzzle. Somos uma componente inteligente que efetivamente quer recolher os dados dos sistemas de gestão académica, processar os dados (…) e ter como output o horário produzido e planeado pelo software”.

“(…) acho que a Bullet Solutions faria uma melhor prestação [quanto ao sistema de colocação de professores], porque esse é de facto o nosso core”.

“Aquilo que eu noto é que as novas gerações estão muito mais preocupadas com o equilíbrio entre aquilo que é a sua vida pessoal e profissional”.

“Não vejo tanto os jovens hoje com esta vontade de enveredar por um caminho de tanta responsabilidade (…)”.

“(…) O empreendedor sai do trabalho e continua a pensar no trabalho (…) e noto que a novas gerações estão mais preocupadas com esse equilíbrio entre a vida profissional e social”.

“Há 15 anos, quando pensámos neste caminho, não havia praticamente nenhum awareness do que é que era isto das start-ups (…) antigamente não havia todo este borbulhar, este chamamento ao empreendedorismo (…)”.

“(…) Apesar de todo este contexto acho que já demos provas de que nós nos conseguimos superar sempre nas adversidades (…) muitos de nós temos a capacidade de adaptação para a sobrevivência (…)”.

Reveja as conversas anteriores:

António Murta, fundador e CEO da Pathena, e Renato Oliveira, fundador e CEO da eBankit.
João Brazão, CEO da Eureekka e business angel, e João Marques da Silva, CEO da CateringAssiste.
Francisco Horta e Costa, managing director da CBRE, e Ricardo Santos, CEO da start-up Heptasense.
João Arantes e Oliveira, fundador e partner da HCapital Partners, e Nuno Matos Sequeira, diretor da Solzaima.
Tim Vieira, CEO da Bravegeneration, e Pedro Lopes, fundador da Infinitebook.
Luís Manuel, diretor executivo da EDP Innovation, e Carlos Lei Santos, CEO e cofundador da HypeLabs.
António Miguel, fundador e CEO da MAZE, e Guilherme Guerra, fundador e CEO da Rnters.
João Amaro, Managing Partner da Inter-Risco, e Carlos Palhares, CEO da Mecwide.
Pedro Lourenço, administrador da Ideias Glaciares, e Pedro Almeida, fundador e CEO da MindProber.
Alexandre Santos, diretor de investimento na Sonae IM e cofundador da Bright Pixel, e João Aroso, cofundador e CEO da Advertio.
Francisco Ferreira Pinto, partner da Bynd Venture Capital, e Eduardo Freire Rodrigues, cofundador e CEO da UpHill.
Basílio Simões, business angel e fundador da Vega Ventures, e Gustavo Silva, cofundador e CMO da Homeit.
Manuel Tarré, presidente da Gelpeixe, e Nuno Melo, cofundador e sócio da Boost IT.
José Serra, fundador e managing partner da Olisipo Way, e Tocha Serra, Partner & Startup Spotter da Corpfolio.
Stephan Morais, fundador e diretor-geral da Indico Capital Partners, e André Jordão, CEO da Barkyn.
Ricardo Perdigão Henriques, CEO da Hovione Capital, e Nuno Prego Ramos, CEO da CellmAbs.
Pedro Ribeiro Santos, sócio da Armilar Venture Partners, e Jaime Jorge, CEO da Codacy.
Miguel Ribeiro Ferreira, investidor e chairman da Fonte Viva, e João Cortinhas, fundador e CEO da Swonkie.
Cíntia Mano, investidora que está ligada à REDangels e à COREangels Atlantic, e Marcelo Bastos, fundador da start-up Sizebay.
Diamantino Costa, cofundador da Ganexa Capital, e Nuno Almeida, CEO da Nourish Care.
David Malta, Venture Partner do fundo de investimento Vesalius Biocapital, e Daniela Seixas CEO da TonicApp.
Sérgio Rodrigues, presidente da Invicta Angels, e Ivo Marinho, cofundador e CEO da StoresAce.
Alexandre Barbosa, Managing Partner da Faber, e Carlos Silva, cofundador da Seedrs.
Inês Sequeira, diretora da Casa do Impacto, e Nuno Brito Jorge, cofundador e CEO da GoParity.
Paulo Santos, managing partner da WiseNext, e Hugo Venâncio, CEO da Reatia.
João Matos, administrador executivo do dstgroup e presidente e CEO da  2bpartner, e Bruno Azevedo, CEO da AddVolt.
Luís Quaresma, partner da Iberis Capital, e Vasco Portugal, cofundador e CEO da Sensei.
Isabel Neves, business angel, e Rita Ribeiro da Silva, cofundadora da Skoach.
Pedro Tinoco Fraga, fundador da F3M e acionista da Braintrust, da BrainInvest e da BrainCapital, e César Martins, fundador e CEO da ChemiTek.

Comentários