Duas gerações, duas visões sobre a atualidade. Tim Vieira, CEO da Bravegeneration, e Pedro Lopes, fundador da Infinitebook, falam da atualidade e do que mudou nas suas vidas e negócios nos últimos meses.

O que mudou na vida de Tim Vieira e Pedro Lopes nos últimos meses com a pandemia do Covid-19? Como transformaram os desafios em oportunidades? Como encaram o futuro?
As respostas estão em mais uma sessão Spe Futuri, Investidores, emitida hoje nas redes sociais do Link To Leaders (Facebook, YouTube e LinkedIn) e em que o CEO da Bravegeneration e o fundador da Infinitebook, em conversa com o empresário Ricardo Luz, expõem os seus pontos de vista acerca da atualidade bem como a forma como estão a encarar o futuro. São duas gerações com um ponto em comum: o otimismo com que encaram os próximos meses e a vontade de continuar a empreender.

Este é mais um momento de partilha entre investidores e empreendedores, um desafio que nas últimas semanas o Link To Leaders, numa parceria com o empresário Ricardo Luz, tem vindo a fazer a alguns profissionais do mercado nacional.

Reveja as quatro conversas anteriores:
António Murta, fundador e CEO da Pathena // Renato Oliveira, fundador e CEO da eBankit;
João Brazão, CEO da Eureekka e business angel // João Marques da Silva, CEO da CateringAssiste;
Francisco Horta e Costa, managing director da CBRE // Ricardo Santos, CEO da start-up Heptasense;
João Arantes e Oliveira, fundador e partner da HCapital Partners // Nuno Matos Sequeira, diretor da Solzaima.

Leia algumas das mensagens-chave da conversa de hoje e reveja o vídeo.

As reações à crise

“(…) É difícil ficar em casa descansado quando obviamente temos negócios, salários e pagamentos com fornecedores. Esse foi o meu primeiro stress” – Tim Vieira

“(…) Percebi que se calhar era melhor começar a usar esta oportunidade, este tempo parado, para começar a pensar onde podemos começar a ajudar outros. Foi um bocadinho isso que comecei a fazer (…)” – Tim Vieira

“(…)  [este período]deu-me tempo suficiente para eu ficar aborrecido e para começar a criar coisas, para ser mais criativo. Então dentro da Infinitebook fizemos coisas incríveis durante esta quarentena. As novas vendas na loja online dispararam cerca de 150 % (…) “ – Pedro Lopes

“Acho que o que percebemos desta crise (…) é que não temos controlo em nada. E os empreendedores sempre souberam isso um bocadinho. Têm uma vantagem nisso. Perceberam que sim, podem levar um choque, mas que depois disso sabem que somos humanos, que as pessoas vão começar a querer coisas, que vai haver oportunidades, que começam logo a mexer-se, à procura (…) – Tim Vieira

“É nossa opção dizer vamos ser um bocadinho mais otimistas ou vamos estar aqui (…) a culpar que a situação é sempre contra nós. Desta vez, basicamente estamos todos na mesma tempestade, alguns em barcos diferentes, mas todos na mesma tempestade, e o importante aqui é estarmos (…) com pessoas que acreditam que isto vai melhorar (…) – Tim Vieira

“Os empreendedores também têm de ser realistas. Não são só sonhadores (…) os empreendedores percebem que tudo o que vale a pena fazer também é difícil, mas que não é impossível. E isso é que é uma grande coisa. Tentam, experimentam, fazem, lutam e esse é que é o espírito” – Tim Vieira

(…) Deu-nos, se calhar, um bocadinho a noção da nossa pequenez (…). Sempre ouvimos falar disso, que somos muito pequenos à escala universal e que somos frágeis e se calhar isto dei-nos a noção real do quão frágeis somos e do como pequenos somos (..)” – Pedro Lopes

 A pensar no futuro

“Como empreendedores vamos tendo choques ao longo do percurso da empresa e este acaba por ser apenas mais um choque no nosso caso (…)”  – Pedro Lopes

“O que temos de perceber é que não somos tão fortes quando estamos sozinhos e pensamos que não precisamos de ninguém. (…) quando é preciso passar crises e precisamos todos de estar juntos (..) aí percebe que afinal é melhor estarmos juntos e lutarmos para a mesma coisa (…)” – Tim Vieira

(..) É muito difícil acreditar ou ter confiança em muita coisa que está a acontecer. Nem sabemos como é que o vírus está de momento, o que vai ser, se vamos poder abrir e funcionar (…)” – Tim Vieira

“O cash flow é o sangue das empresas, elas precisam de cash flow, sem cash flow estão mortas” – Tim Vieira

“Portugal tem uma grande vantagem em ser pequeno (…) e com um bom plano e uma boa visão, com as empresas a perceberem as vantagens que podem ter e não estarem naquele unknow que muitas vezes estão, podem ter aqui uma vantagem, prepararem-se para saírem disto com algum sucesso (…) – Tim Vieira

“(…) a educação para nós vai ser um grande foco. E tudo o que vamos fazer a seguir vai ser sempre focado na criatividade, inovação e educação, independentemente do que acontecer” – Pedro Lopes.

“Acho que aconteceu uma coisa boa. As pessoas ganharam mais confiança a comprar online. O meu negócio é maioritariamente online e isso trouxe-me uma enorme vantagem. Os portugueses ainda eram um bocadinho desconfiados (…) e isso é positivo” – Pedro Lopes.

“Acredito que vamos recuperar e que o último trimestre do ano vai ser incrível (…) e para o ano ainda vai ser melhor” – Pedro Lopes

“Agora as crises vão vir de sítios diferentes, de maneira diferentes, e vamos ter de estar confortável que a vida é isso (…)” – Tim Vieira 

“Ser positivo e pensar de uma maneira positiva e empreendedora é uma maneira de viver (…)” – Tim Vieira

“Vejo um futuro mais digital, para o bem ou para o mal (..). Não há outra forma de pensar e de ver a vida, se não tivermos esperança acaba por ser aborrecido o que estamos a fazer. Não faz sentido (..) temos de acreditar em alguma coisa positiva que nos faça mover, que nos faça ir para a frente” – Pedro Lopes

“Vejo um futuro bom para as pessoas criativas (..) quem pensar, quem tiver qualidade e talento vai conseguir fazer negócios interessantes (…). No fim só precisamos de ganhar um bocadinho mais do que gastamos (..)” – Tim Vieira

“(…) No fim tudo vai estar bem. Se não está bem, é porque não é o fim” – Tim Vieira 

Comentários