Otimismo e confiança na continuidade dos projetos que lideram marcam a postura dos dois convidados desta semana do Spe Futuri, Investidores: João Amaro, Managing Partner da Inter-Risco, e Carlos Palhares, CEO da Mecwide.

A responsabilidade do gestor que tem de tomar decisões que envolvem milhares de famílias, a capacidade de reorganização das empresas, as dúvidas que os assaltaram nos últimos meses e a importância de partilhar informação e de manter o espírito positivo das equipas foram algumas das temáticas abordadas pelos convidados desta semana do Spe Futuri, Investidores.

João Amaro, Managing Partner da Inter-Risco, e Carlos Palhares, CEO da Mecwide, conversaram com Ricardo Luz, sobre as preocupações que os têm acompanhado durante o período de pandemia e sobre a forma como uma empresa de capital de risco e as suas participadas se podem e devem apoiar em tempos conturbados.

A Inter-Risco, refira-se, é um operador no mercado do private equity, enquanto a Mecwide é uma empresa de serviços de engenharia na indústria metalomecânica especializada no sector de Oil & Gas, investida pela primeira.

A iniciativa Spe Futuri, Investidores (uma parceria Link To Leaders com o empresário Ricardo Luz) vai na oitava sessão. Reveja as anteriores conversas.

António Murta, fundador e CEO da Pathena, e Renato Oliveira, fundador e CEO da eBankit,
João Brazão, CEO da Eureekka e business angel, e João Marques da Silva, CEO da CateringAssiste,
Francisco Horta e Costa, managing director da CBRE, e Ricardo Santos, CEO da start-up Heptasense,
João Arantes e Oliveira, fundador e partner da HCapital Partners, e Nuno Matos Sequeira, diretor da Solzaima,
Tim Vieira, CEO da Bravegeneration, e Pedro Lopes, fundador da Infinitebook,
Luís Manuel, diretor executivo da EDP Innovation, e Carlos Lei Santos, CEO e cofundador da HypeLabs
António Miguel, fundador e CEO da MAZE, e Guilherme Guerra, fundador e CEO da Rnters.

Veja o vídeo desta semana e leia os headlines

(…) Acho que isso é um passo muito importante, não vivermos só a pensar na doença, mas começarmos a pensar no tratamento e naquilo que será a recuperação” – João Amaro

“Já tínhamos um budget para este ano bastante ambicioso (…) e de repente em meados de março (…), com projetos em diversos países e com centenas de pessoas espalhadas, foi um caos gerir o dia a dia (…)” – Carlos Palhares

(…) Aquilo que nós sentimos neste período da crise foi a responsabilidade de milhares de famílias sobre os nossos ombros (…) – João Amaro

(…) E não há dúvida que gerir também é tomar decisões erradas. E todos nós tomamos. (…) Quem achar que só toma decisões certas… acho que não existe essa pessoa. O nosso objetivo no final do dia é ter um balanço positivo nas decisões que toma. Acho que só daqui a um ano é que podemos olhar para trás e conseguir ver que decisões certas é que tomámos e que decisões é que foram erradas (…) – João Amaro

“Quando lideramos uma empresa (…) acho que é importante que as pessoas vejam em momentos de crise que quem está à frente está com energia (…)  – Carlos Palhares

(…) Digo sempre que o bom empresário é o empresário que sabe perder porque saber ganhar é fácil, explicar a vitória é fácil (…)” – Carlos Palhares

(…) Tínhamos programado pagar dividendos este ano e nós próprios acionistas dissemos: não se paga dividendos em prol do emprego, em prol da organização. E foi isso que fizemos (…) –   Carlos Palhares  

 “Existem momentos bons onde todos nós estamos felizes, mas temos de estar unidos precisamente para podermos ultrapassar os momentos maus. E é esse o momento em que nós estamos e só com uma boa cultura e unidos é que vamos conseguir ultrapassar e sair mais fortes a seguir (…)” – João Amaro

(…) Assim como os nossos colaboradores, nós empresários também sofremos angústias (…) temos as angústias de gerir a empresa (…)” – João Amaro

“Eu próprio tive necessidade de ir fora do nosso universo falar com várias pessoas, porque eu tive muitas dúvidas, precisamente por isso, por ser uma situação solitária (…), nós não somos donos da verdade (…)” – João Amaro

“Se houve algo que esta crise trouxe foi o incremento da humildade que acho que todos nós temos de ter, não somos donos da verdade e a partilha e o bechmark, porque não fazê-lo (…) – João Amaro

(…) Diria que a maioria das start-ups não morrem com a ideia que têm, morrem com a capacidade de evolução do próprio empresário que tem a ideia (…)” – Carlos Palhares

“Temos um slogan que é “enquanto uns choram os outros vendem lenços. Nós temos de ir vender lenços!” –  Carlos Palhares

“(…) a globalização acho que está para ficar (…)” – João Amaro

Comentários