Ex-quadro da Cisco, Carlos Brazão é agora business angel e um dos investidores individuais da Vawlt Technologies. Ricardo Mendes é um dos cofundadores e CEO desta start-up, especializada em soluções de segurança de dados, que ainda no mês passado concluiu uma ronda de financiamento de 550 mil euros. Investidor e empreendedor falaram das dificuldades dos seus setores de atividade, de questões relacionadas com a segurança dos dados, e ainda de como cada um deles tenta dar o seu melhor pela inovação e empreendedorismo nacionais. Reveja a conversa.

Leia alguns headlines:

Carlos Brazão

“Acredito no potencial incrível da Vawlt e já agora, porque somos investidores, acredito que poderemos ganhar muito dinheiro que é no fim de contas a win game deste tipo de investimentos (…)”

“Há muitos anos que tenho uma paixão pelo tema do empreendedorismo e por, dentro das minhas possibilidades, dar a mão a start-ups na área tecnológica (…)”.

“Acho que para muito boas ideias sempre se consegue investimento (…)”.

“Fora os Estados Unidos  [Israel] é provavelmente o maior exemplo concentrado de um pequeno país ter uma estratégia de sucesso e de desenvolver um ecossistema de sucesso (…)”.

Ricardo Mendes

“A segurança está na base Vawlt (…) esse é um dos grandes diferenciadores Vawlt (…)”.

“(…) há uma área dos nossos dados pessoais que são impossíveis de proteger. Há aqui um contrato quase tácito do uso de tecnologia que cria dados e nós não podemos abdicar da evolução tecnológica sem ter este reverso da medalha (…). Os vários sistemas que existem vão recolher dados e vão utilizá-los para o nosso bem.”

“Começamos com um projeto no âmbito académico (…) e fomos ficando agarrados ao desafio que era conseguir resolver mais um problema (…) fomos desenvolvendo um protótipo cada vez mais fiável e mais funcional”.

“A Vawlt tem tudo o que é necessário para ser uma empresa global com tudo o que isso implica. A procura de capital foi uma estratégia que achamos necessária. E que conseguimos primeiramente com a Armilar e agora com o fecho desta segunda ronda (…)”.

“O ecossistema em Portugal no que diz respeito aos VC está muitíssimo evoluído. Acho que (…) começamos a criar capacidade para podermos ser aqui um polo importante no que diz respeito à criação de valor, à criação de empresas”.

Reveja as conversas anteriores:

António Murta, fundador e CEO da Pathena, e Renato Oliveira, fundador e CEO da eBankit.
João Brazão, CEO da Eureekka e business angel, e João Marques da Silva, CEO da CateringAssiste.
Francisco Horta e Costa, managing director da CBRE, e Ricardo Santos, CEO da start-up Heptasense.
João Arantes e Oliveira, fundador e partner da HCapital Partners, e Nuno Matos Sequeira, diretor da Solzaima.
Tim Vieira, CEO da Bravegeneration, e Pedro Lopes, fundador da Infinitebook.
Luís Manuel, diretor executivo da EDP Innovation, e Carlos Lei Santos, CEO e cofundador da HypeLabs.
António Miguel, fundador e CEO da MAZE, e Guilherme Guerra, fundador e CEO da Rnters.
João Amaro, Managing Partner da Inter-Risco, e Carlos Palhares, CEO da Mecwide.
Pedro Lourenço, administrador da Ideias Glaciares, e Pedro Almeida, fundador e CEO da MindProber.
Alexandre Santos, diretor de investimento na Sonae IM e cofundador da Bright Pixel, e João Aroso, cofundador e CEO da Advertio.
Francisco Ferreira Pinto, partner da Bynd Venture Capital, e Eduardo Freire Rodrigues, cofundador e CEO da UpHill.
Basílio Simões, business angel e fundador da Vega Ventures, e Gustavo Silva, cofundador e CMO da Homeit.
Manuel Tarré, presidente da Gelpeixe, e Nuno Melo, cofundador e sócio da Boost IT.
José Serra, fundador e managing partner da Olisipo Way, e Tocha Serra, Partner & Startup Spotter da Corpfolio.
Stephan Morais, fundador e diretor-geral da Indico Capital Partners, e André Jordão, CEO da Barkyn.
Ricardo Perdigão Henriques, CEO da Hovione Capital, e Nuno Prego Ramos, CEO da CellmAbs.
Pedro Ribeiro Santos, sócio da Armilar Venture Partners, e Jaime Jorge, CEO da Codacy.
Miguel Ribeiro Ferreira, investidor e chairman da Fonte Viva, e João Cortinhas, fundador e CEO da Swonkie.
Cíntia Mano, investidora que está ligada à REDangels e à COREangels Atlantic, e Marcelo Bastos, fundador da start-up Sizebay.
Diamantino Costa, cofundador da Ganexa Capital, e Nuno Almeida, CEO da Nourish Care.
David Malta, Venture Partner do fundo de investimento Vesalius Biocapital, e Daniela Seixas CEO da TonicApp.
Sérgio Rodrigues, presidente da Invicta Angels, e Ivo Marinho, cofundador e CEO da StoresAce.
Alexandre Barbosa, Managing Partner da Faber, e Carlos Silva, cofundador da Seedrs.
Inês Sequeira, diretora da Casa do Impacto, e Nuno Brito Jorge, cofundador e CEO da GoParity.
Paulo Santos, managing partner da WiseNext, e Hugo Venâncio, CEO da Reatia.
João Matos, administrador executivo do dstgroup e presidente e CEO da  2bpartner, e Bruno Azevedo, CEO da AddVolt.
Luís Quaresma, partner da Iberis Capital, e Vasco Portugal, cofundador e CEO da Sensei.
Isabel Neves, business angel, e Rita Ribeiro da Silva, cofundadora da Skoach.
Pedro Tinoco Fraga, fundador da F3M e acionista da Braintrust, da BrainInvest e da BrainCapital, e César Martins, fundador e CEO da ChemiTek.
Roberto Branco, CEO da Beta Capital, e Luís Moreira, cofundador da Bullet Solutions,

Comentários