Sente-se desmotivado para resolver um problema? Eis o que pode fazer

Tem um problema no trabalho ou na vida pessoal, até sabe como resolvê-lo, mas sente-se desmotivado para entrar em ação? Dois psicólogos apresentam-lhe uma solução simples.

Não raras vezes, quando estamos a iniciar um projeto novo e não sabemos os próximos passos a dar, ou quando passamos por dificuldades na vida pessoal, a nossa intuição diz-nos que temos de procurar ajuda. Quiça seguir os conselhos de um mentor, de uma pessoa que já tenha passado pela mesma situação e que tenha conseguido superá-la….
Contra todas as probabilidades, esta pode não ser a melhor opção, atendendo ao que defendem os psicólogos Lauren Eskreis-Winklere e Ayelet Fishback que acreditam que esta teoria está errada. Para estes profissionais, ela psicóloga da universidade de Wharton, e ele professor de ciências do comportamento da University of Chicage Booth, em vez de receber conselhos de alguém, o truque para recuperar a motivação passa por aconselhar.

A teoria foi explanada num artigo na MIT Sloan Management Review. Segundo os dois autores, há muito que os psicólogos sabem que o maior problema das pessoas que querem voltar a ter o controlo das suas vidas passa pela falta de motivação para transformar o conhecimento em ação.

Tendo isto em consideração, Lauren e Ayelet decidiram virar a solução tradicional (a de procurar um mentor) ao contrário. Ao invés de darem conselhos às pessoas que estão a passar por problemas, os dois investigadores pediram-lhes conselhos. Ou seja, reuniram uma amostra que incluía vários grupos de adultos: os desempregados com dificuldades em encontrar um emprego; os que não conseguem poupar dinheiro; os que não sabem gerir as suas emoções; e os que não conseguem perder peso. O objetivo era pedir-lhes que aconselhassem pessoas que estão a passar pelos mesmos problemas.

A metodologia consistiu em mostrar sites com dicas (adequadas a cada uma das situações) e levar a cabo conversas entre os adultos inseridos no mesmo grupo. Todas as pessoas partilharam e receberam conselhos. Depois disto, 68% dos desempregados revelaram que se sentiram mais motivados para procurar emprego depois de darem conselhos do que depois de os receberem.

Da mesma maneira que no agregado dos desempregados, também 72% dos membros do grupo com dificuldade em poupar dinheiro sentiram-se mais motivados depois de partilharem os seus conselhos. O mesmo aconteceu com 77% dos adultos com dificuldade em gerir as emoções e com 72% das pessoas que não conseguiam perder peso.

Os resultados indiciam que a tese dos dois psicólogos está certa. Mas, como contam os dois investigadores, mais surpreendente que os resultados é o facto de as pessoas pensarem que aconselhar os seus pares só as vai desmotivar – quando o efeito é o oposto. Tal pensamento pode ser explicado pela ideia que as pessoas têm em associar uma má performance à falta de informação, quando, na verdade, a maior parte das pessoas tem a informação necessária, mas não a executa.

Desta forma, aconselhar – em vez de receber conselhos – parece ser um método eficaz para motivar as pessoas que não têm vontade para colocar as soluções em prática. Este exercício origina uma reflexão do conhecimento anteriormente adquirido, o que explica os resultados dos testes dos dois psicólogos norte-americanos.

Comentários

Artigos Relacionados