A afirmação não é minha, mas de Dale Carnegie na sua obra “Como fazer amigos e influenciar pessoas”. Este será o tópico para o artigo de hoje. Porquê? Muitos benefícios podemos retirar desta prática no nosso dia a dia pessoal e profissional.

Uma das características mais importantes de uma liderança forte, consciente, empática e corajosa pode começar por aqui mesmo – se estiver errado, reconheça-o e com entusiamo. Genuinamente, em sinceridade.

Estar errado faz parte da nossa vida e não há nada de errado sobre isso. Onde o tema pode correr mal é quando erramos e temos dificuldade em reconhecer que erramos, seja para nós mesmos (introspeção sobre o erro), seja perante outra pessoa ou par. Ou, quando o fazemos, demoramos demasiado tempo a reconhecê-lo.

Estar errado e reconhecer não é para todos, mas podemos treinar para, progressivamente, o fazermos de forma espontânea e natural. Isto requer “mandar” para bem longe o nosso ego, vaidades e julgamentos antecipados – coisas difíceis, bem sabemos!

Admitir os erros perante si ou perante outros é um grande ato de coragem e de grande nobreza e até há uma autossatisfação inerente a este ato, porque limpa o ambiente de toda a culpa e sentimentos defensivos, ajudando a resolver o problema criado pelo erro.

Como escreve Dale Carnegie, na mesma obra, “qualquer idiota pode tentar defender os erros que comete – e a maioria fá-lo –, mas admitir os próprios erros faz-nos sobressair do rebanho e transmite-nos um sentimento de nobreza e exaltação”.

Reconhecer o erro é também uma tática poderosa contras as pessoas mesquinhas e que estão sempre à procura do erro no outro, para tecer críticas e abalar a confiança alheia. Mas mais do que isso, é o lado positivo do crescimento que esta ação traz – gera atitudes generosas, empáticas e de compaixão pelo outro. Não serão estas características poderosas num líder? Em nós enquanto seres humanos?

Seja a nível pessoal, seja ao nível corporativo, reconhecer o erro, traz-nos 4 grandes benefícios:

1 – “Alimenta” a nossa aprendizagem. Já diz a célebre frase “aprender com os erros”!
2 – “Limpa” o ambiente de toda a culpa. E quem não gosta de viver “sem culpas”, tranquilidade e em paz?
3 – Evita sentimentos defensivos e mesquinhos. Para quê perpetuar e alimentar conversas defensivas dos outros que minam a nossa paz e o nosso “seguir em frente”?
4 – Estimula o sentimento de compaixão pelo outro. Quando somos “vítimas” do erro de alguém e que nos prejudica, não desejamos tanto – “ se ao menos ele/ela entendesse o que estou a sentir e o quão me prejudica?

Como escreveu um empreendedor e CEO, Marlon Bett, “evoluir requer despir das nossas vaidades e egos, portanto sejamos humildes em reconhecer os nossos erros e já estamos a evoluir”.

Evolua como líder, mas acima de tudo como pessoa, e procure em cada dia ser uma melhor versão de si próprio.

Comentários

Sobre o autor

Avatar

Sónia Jerónimo é Entrepreneur & Board Advisor. Passou pela Winning, como COO e Board Advisory, e tem mais de 20 de experiência na área da gestão e liderança de empresas ligadas às tecnologias de informação. Após a licenciatura em Economia,... Ler Mais