Remote torna-se no quinto unicórnio em Portugal

A Remote, plataforma que permite às empresas agilizar o processo de contratar em qualquer lugar, acaba de fechar uma ronda de investimento, ficando avaliada em mais de mil milhões de dólares.

Depois da Farfetch, da Outsystems, da Talkdesk e da Feedzai, a Remote entrou no restrito grupo dos unicórnios de origem portuguesa. A start-up, que criou uma plataforma para gestão de recursos humanos em teletrabalho e tem o português Marcelo Lebre como um dos fundadores, fechou uma ronda de investimento Série B no valor de 150 milhões de dólares (127 milhões de euros) para expandir o negócio. A ronda foi liderada pela Accel e contou com participação da Sequoia, Index Ventures, Two Sigma, General Catalyst e Day One Ventures.

“Para a Remote esta avaliação significa uma validação do nosso trabalho, do problema que estamos a resolver no mundo, mas também uma mensagem muito importante de que estamos num ponto de viragem muito importante para as empresas, para os trabalhadores e aquilo que conhecemos como o mercado de trabalho tradicional. Com esta avaliação e investimento vamos conseguir aumentar ainda mais a nossa expansão, chegando a mais países, mais empresas e mais pessoas”, explicou Marcelo Lebre ao Link To Leaders.

Fundada em 2019 pelo atual presidente executivo, Job van der Voort, holandês a viver desde 2011 em Portugal (atualmente em Braga), e Marcelo Lebre, o diretor tecnológico, a Remote desenvolveu uma plataforma que permite às empresas facilitar o processo de contratar colaboradores em qualquer lugar.

“Por um lado, as empresas têm mais opções de recrutamento e, por outro lado, os trabalhadores têm acesso a mais oportunidades de emprego. Pessoas que antes não podiam trabalhar para empresas mais ambiciosas por causa da sua localização agora podem através da Remote ganhar um salário e com mais benefícios dos que conseguiriam encontrar localmente”, refere a start-up.

O novo financiamento será aplicado na expansão dos seus serviços de consultoria para incluir orientação sobre benefícios globais, planeamento de incentivos de capital, suporte para vistos e imigração e relocação de funcionários.

No ano passado, a Remote viu as suas receitas aumentarem 65 vezes. Também contratou 170 pessoas nesse período, elevando o seu quadro de funcionários para 220.

A empresa está presente em 50 países e prevê expandir-se para 80 até o final de 2022. Agora está sediada em São Francisco, mas foi fundada em Portugal.

Comentários

Artigos Relacionados