Quem são as 10 maiores cripto influenciadoras internacionais em 2022? O Bankless Times responde.

As mulheres ainda são em número reduzido no mundo tecnológico das criptomoedas, mas algumas prometem dar cartas este ano. O Bankless Times analisou o panorama internacional e identificou as 10 cripto influenciadoras de 2022.

Trabalhar no universo das criptomoedas começa também a ser cada vez mais atrativo para as mulheres e, apesar de ainda estarem longe do número de homens que trabalham neste setor, já são algumas as que, no panorama internacional, se começam a destacar.

Um inquérito realizado no ano passado pelo eToro verificou que apenas 15% dos operadores de bitcoin eram mulheres, enquanto um outro estudo da Universidade de Chicago (baseado em 1.004 adultos dos EUA) apontou para 41% de mulheres no negócio das criptomoedas. Já os dados da Bitstamp revelaram um aumento de 200% no número de investidoras em criptomoedas na sua plataforma durante os primeiros nove meses de 2021, comparativamente ao mesmo período de 2020.

Com base no cruzamento destes dados, o Bankless Times analisou o panorama internacional e identificou algumas das melhores profissionais que trabalham no espaço cripto e que vale a pena acompanhar este ano.

Meltem Demirors – (238.1K Seguidores)
Esta especialista em bitcoin é Chief Strategy Officer na CoinShares, uma empresa de investimento de ativos digitais que gere 4 mil milhões de dólares. É membro fundador e copresidente do World Economic Forum Cryptocurrency Council, criou cursos de cripto em plataformas como a Skillshare e tem falado frequentemente sobre mulheres em cripto.

Layah Heilpern – (208.7K Seguidores)
Recentemente, esta ex-jornalista publicou o livro “Undressing Bitcoin: A Revealing Guide To The World’s Most Revolutionary Asset”. Atualmente, gere um negócio de criação de meios de comunicação e conteúdos e tem o seu próprio podcast sobre criptomoedas e empreendedorismo, o que a tornou numa das vozes mais difundidas sobre o tema.

Lea Thompson –  (194.8K Seguidores)
É criadora de conteúdos, escreve, faz vídeos e tem várias parcerias com a tecnologia blockchain. Ganhou popularidade pelos seus posts, e inclusive por um vídeo explicativo sobre o que que é Bitcoin dirigido a JK Rowling e que foi visto mais de 500 mil vezes.

Rachel Siegel – (193.4K Seguidores)
Ex-professora, Rachel Siegel é agora uma influenciadora e oradora cripto. Recentemente, afirmou no New York Post que a sua caminhada se baseava na “convicção, através da educação” e não nos conhecimentos técnicos existentes.

Natalie Brunell – (179.4K Seguidores)
Com seguidores no YouTube e no Twitter, Natalie Brunell entrevista convidados sobre temas como cripto, política monetária, inflação e mercados globais, divulgadas também no seu podcast, Coin Stories. Defensora das bitcoins aparece regularmente nos media a dissertar sobre o tema.

Aleksandra Huk – (175.3K Seguidores)
Gere o CashFLOW Stake Pool e escreve tweets sobre conselhos de segurança.

Caitlin Long – (169.4K Seguidores)
Em destaque na lista de investimentos da Forbes 2021 “50 Over 50”, Caitlin Long é a fundadora e diretora executiva do Custodia Bank, que fornece soluções de pagamento e reserva de ativos digitais. A sua biografia do Twitter afirma que é investidora em Bitcoin desde 2012.

Elizabeth Stark –  (142.3K Seguidores)
Elizabeth Stark deu palestras sobre a internet descentralizada e é a CEO da Lightning Labs, uma empresa de desenvolvimento de software que afirma estar a criar um sistema “de código aberto, seguro e escalável” para “permitir aos utilizadores enviar e receber dinheiro de forma mais eficiente do que nunca”.

Preethi Kasireddy – (105.8K Seguidores)
Kasireddy é uma ex-engenheira de software da Coinbase e escreve sobre temas como arquitetura de aplicações Web 3.0, a escalabilidade blockchain e a internet das coisas (IoT).

Tavonia Evans – (4,719 Seguidores)
Também engenheira de software e fundadora, em 2017, da $GUAP, um projeto construído especificamente para apoiar empresas criadas por pessoas de raça negra. Tavonia Evans afirma que a moeda está a “criar mais acesso para as pessoas negras à criptomoeda”. Também é coapresentadora do blockchain/crypto podcast “In The Black”.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados