Portugueses menos sustentáveis durante o Natal, revela estudo

82% dos portugueses consideram que a sustentabilidade fica em segundo plano no Natal, contra 75% que vai adotar medidas sustentáveis. Os dados são do Observador Cetelem Natal 2021.

A mais recente análise de mercado do Observador Cetelem relativa ao Natal 2021, mostra que 82% dos inquiridos concordam que a sustentabilidade fica em segundo plano nesta altura do ano, com a grande maioria dos inquiridos (90%) a considerar que a época do Natal é um período de consumo excessivo. Por sua vez, 79% dos portugueses consideram que é possível ser sustentável durante o período festivo.

Conduzido pela Nielsen, este estudo de mercado teve como target indivíduos de ambos os géneros, de idades compreendidas entre os 18 e os 74 anos, residentes em Portugal Continental.

Globalmente, são os portugueses entre 18 e os 44 anos os que mais acreditam que o Natal pode ser sustentável (uma média de 84% dos inquiridos). Por sua vez, a faixa etária dos 65 aos 74 anos, é a que menos acredita nesta premissa (70%).

No top cinco das medidas que os portugueses vão adotar para tornar o período festivo mais sustentável, encontram-se a reutilização dos enfeites de Natal (44%); a reutilização da árvore de Natal artificial (36%); a reutilização de sacos para as compras (24%); a compra apenas de coisas essenciais (23%); e a reutilização de papel de embrulho/laços (21%). Os jovens (entre os 18 e os 25 anos) são os que se preocupam mais em adotar pelo menos uma destas medidas (60%).

Ainda no âmbito das atitudes sustentáveis dos portugueses, 31% dos inquiridos vai apoiar o comércio e a produção local através da compra de produtos e presentes feitos em Portugal. Mais: 18% pretende comprar em lojas do seu bairro/perto de casa e 15% tem a intenção de comprar a produtores locais. Entre os que compram no comércio local, 27% tencionam gastar mais do que o ano passado, nomeadamente, os jovens dos 25 aos 34 anos (42%) e residentes da zona Centro do país (60%). Contrariamente, 25% afirma que não tem intenção de apoiar o comércio local.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados