Portugueses estão ansiosos com as suas finanças pessoais

64% dos portugueses têm um baixo conhecimento financeiro, revela o estudo realizado pelo Doutor Finanças para perceber o nível da literacia financeira nacional.

Para perceber qual o estado atual do bem-estar financeiro dos portugueses e de que forma é afetado quer por comportamentos financeiros quer por componentes psicológicas, o Doutor Finanças desenvolveu o estudo “Bem-Estar Financeiro em Portugal: Uma Perspetiva Comportamental”.

Desenvolvido em parceria com a Laicos – Behavioural Change, e com a chancela científica da Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa (FPUL) e da NOVA IMS, o estudo mostra que metade dos portugueses sentem-se ansiosos com as suas finanças pessoais, que a tristeza e stress mais elevados estão associados a um menor bem-estar financeiro, e que um em cada quatro portugueses tem dificuldade em pagar as contas e cumprir obrigações.

Conclui também que 64% dos portugueses têm um baixo conhecimento financeiro, que 21% não sabe calcular quanto ganharia com um depósito de 100 euros a prazo (a 5 anos, com taxa de juro de 1%),  que 25% não compara corretamente o crescimento/perda do seu poder de compra face a inflação, e que 53% não sabe avaliar o nível de risco de investir em ações ou fundos.

Atualmente, uma em cada quatro pessoas tem dificuldade em pagar as suas contas. Inclusive, um em cada três portugueses considera que os seus encargos com créditos são demasiado elevados. Além disso, 53% dos entrevistados assume sentir-se insatisfeito com a sua vida financeira.

A maioria dos portugueses tem alguma poupança, mas quase metade não possui um fundo de emergência. O que significa que não dispõem do valor necessário para cobrir as suas despesas durante três meses em caso de necessidade.

Por outro lado, 55% da população já investiu algum dinheiro, sendo que a maioria optou por investimentos de menor risco, como Certificados de Aforro e Planos Poupança Reforma. Já 62% das pessoas que nunca investiram, não consideraram fazê-lo até à data. Em Portugal, as mulheres com baixos rendimentos e escolaridade até ao ensino secundário têm menor bem-estar financeiro, menor conhecimento e mais ansiedade.

Quando comparado com outros países europeus com PIB per capita e literacia financeira acima da média europeia, Portugal surge atrás dos níveis da Alemanha e dos Países Baixos de há 15 anos.

Comentários

Artigos Relacionados