Portugueses com mais de 65 anos são fãs de internet

Nos últimos cinco anos, duplicou o número de portugueses acima dos 65 anos que utilizam internet. A análise é da Marktest.

De acordo com os dados mais recentes do Bareme Internet, da Marktest, entre 2018 e 2022 a geração de ‘baby boomers’ que navega online cresceu 20 pontos percentuais, atingindo os 41% do total de portugueses com mais de 65 anos residentes em Portugal continental. Ou seja, nos últimos cinco anos, os portugueses com mais de 65 anos que acedem regularmente à Internet quase que duplicou. Por sua vez, as gerações Y e X apresentam indicadores próximos dos 100% de acesso, quase todos usam o telemóvel para estar online e mais de 90% já compram em sites de ecommerce.

Aproveitando o facto de hoje se assinalar o Dia Mundial da Internet, a Marktest revisitou alguns dos indicadores mais recentes do estudo Bareme Internet e constatou que, em 2022, 81% dos portugueses já acedia regulamente à Internet. Nesta percentagem incluem-se perto de 100% dos portugueses da geração Z (entre os 15 e os 24 anos), e da geração Y (entre os 25 e os 44). Nas faixas etárias acima, as percentagens de acesso online situam-se numa média de 84% na geração X (entre os 45 e os 64 anos).

O Bareme Internet da Marktest revela também que a classe D foi a que apresentou o maior crescimento no acesso à Internet nos últimos cinco anos. Passou de 28% em 2018 para 49% em 2022. Nas restantes classes sociais, os indicadores médios de acesso mantêm-se elevados, oscilando entre os 99% na classe A-B, os 96% na classe C1 e os 88% na classe C2.

Quanto à forma como os portugueses acedem à Internet, o estudo conclui que 100% da geração Z que acede regularmente à Internet usa o telemóvel. Entre os portugueses com mais de 65 anos, apenas 35% dos que acedem à Internet dizem fazê-lo através de smartphones.

Relativamente aos hábitos de compra online, constata-se que no último ano 61% dos portugueses assumiam fazer compras através de plataformas digitais. 92% da geração Z e 90% da geração Y assumem esse hábito. Por sua vez, na geração X e nos ‘baby boomers’ os hábitos de compra online recuam para os 52% e os 35%, respetivamente.

Comentários

Artigos Relacionados