Portugal assume a 31º posição  e pertence ao grupo de países com rendimentos elevados, segundo a quarta edição do Global Talent Competitiveness Index.

O Global Talent Competitiveness Index (GTCI), um estudo exaustivo orientado para a resolução das questões relacionadas com a competitividade no mundo do trabalho, acaba de anunciar os resultados de 2016.

A edição deste ano revela que os países europeus continuam a liderar o ranking GTCI, com 16 deles a encontrarem-se no top 25. A Suíça mantém a primeira posição do ranking, sendo que este ano o índice soma ainda três países não europeus entre os 10 primeiros: Singapura, no 2º lugar, Estados Unidos na 4ª posição e a Austrália na 6ª.

No ranking geral, que conta com a presença de 118 países, Portugal assume a 31º posição, com uma avaliação de 55,40 pontos, e pertence ao grupo de países com rendimentos elevados.

Dentro das seis competências que são analisadas no Índice, Portugal apresenta um bom comportamento ao nível das novas oportunidades, ocupando o 33º lugar. No que se refere à atratividade de mercado e habilidades globais de crescimento, encontra-se na 27ª posição. Ao nível da competência profissional e técnica, ocupa o 50º lugar e no que se refere a conhecimentos globais o 35º. Por fim, e quanto à taxa de retenção ocupa uma boa posição, destacando-se no 22º lugar.

A área com piores resultados para Portugal foi a competência profissional e técnica (50). Entre as competências tecnológicas, a posição de Portugal é pouco favorável, embora em desenvolvimento, uma vez que o sistema de ensino e as próprias empresas estão a procurar crescer.

Mapa de cores da Disponibilidade de Talentos para a Tecnologia nos 40 maiores países GTCI

Mapa de cores por competência global e por competências

Comentários