Por vezes sou questionado, em webinares ou conferências sobre o porquê de escolher Angola para investir, nomeadamente quando se fala em investir em start-ups. Hoje decidi escrever sobre isso e partilhar alguns dos vários motivos que tornam Angola uma oportunidade tão interessante para se investir.

Começo pelo tamanho do mercado, Angola tem uma população actual de cerca de 33 milhões de habitantes e a crescer rapidamente (perto dos 4% ao ano). As últimas estimativas apontam para que até 2050 a população angolana mais do que duplique. Sem dúvida que ter um mercado destas dimensões é extremamente atrativo para testar e escalar novas ideias, produtos ou serviços. Para além do tamanho do mercado há ainda outra característica muito interessante, a mediana da idade da população angolana é de 16.7 anos, ou seja, uma população extremamente jovem que não só representa oportunidades para o futuro mas também uma população muito propensa a testar novas ideias e produtos, portanto uma população com muitos “early adopters”.

Outra das características da população que torna Angola tão interessante para o desenvolvimento de start-ups é que essa mesma população jovem é uma população cheia de vontade de contribuir, de fazer parte de projetos interessantes e que acrescentem valor, é uma população criativa com imensa vontade de aprender e que valoriza as oportunidades, ou seja é relativamente fácil encontrar recursos humanos para apoiar o crescimento das empresas, no entanto, há que apostar na formação continua pois há skills técnicos que ainda é preciso desenvolver mais localmente.

Em terceiro lugar há que referir a oportunidade que existe em Angola pelos atuais gaps entre procura e oferta de produtos e serviços em praticamente todos os sectores, isto leva a que novas empresas consigam, desde que tenham um produto viável mínimo que seja atraente, captar partes do mercado, encontrar clientes e ter oportunidades de escalar rapidamente. Para além dos gaps em termos de oferta variada existem também imensos gaps de oportunidade de melhoria de qualidade, nomeadamente na prestação de serviços. Estes dois fatores juntos denotam um enorme “trapped value” que as startups podem explorar e libertar, gerando grandes oportunidades de crescimento.

Por último, do ponto de vista do investidor que procura opções, mas talvez não tão diferenciador pois é algo que acontece em mais geografias, Angola está a assistir a um enorme aumento de novas pequenas empresas, ideias e projetos, pelo que é uma excelente altura para estar presente, avaliar numa fase inicial estas novas iniciativas e fazer parte de projetos de enorme potencial, seja  financeiro, social, cultural ou climatérico.

Por todos estes motivos, na minha opinião, Angola é uma excelente opção para se considerar enquanto investidor anjo, ou até para fundos de investimento de capital de risco que se queiram implantar localmente ou investir a partir de fora diversificando a sua carteira.

*E fundador e CEO da Igniting Potential

Comentários

Sobre o autor

Avatar

Eduardo Clemente, 40 anos, é um disruptor criativo que vê na tecnologia um potenciador do desenvolvimento. Nasceu em Portugal e formou-se em Organização e Gestão de Empresas, no ISCTE. Cedo se mudou para Angola onde reside há 15 anos, todos... Ler Mais