Segundo o Instituto Nacional de Estatística, as PME representam 99,9% das empresas em Portugal e estas tinham dívidas maiores em 2016 do que em 2009, segundo dados da Pordata (Base de Dados de Portugal Contemporâneo).

O objetivo de uma empresa moderna não é só vender e ter lucro, é pensar em mil e uma coisas para conseguir maximizar os produtos ou serviços em prol de um consumidor cada vez mais exigente. Os lucros são uma consequência do bom trabalho que se realiza “no campo de batalha”.

Quantas empresas planeiam o seu futuro? Quantas empresas planeiam o seu futuro para os próximos cinco anos? Quantas empresas vão continuar a planear e a procurar pontos de diferenciação em relação à concorrência? Se não fosse o meu caso, eu ficaria um pouco nervoso e preocupado.

O planeamento empresarial é uma grande orientação para a elaboração, desenvolvimento e implementação de vários planos operacionais e só com um objetivo: alcançar o sucesso pretendido. É pena, mas não é com um estalar de dedos que chegamos lá, porque muitos empresários têm medo de planear.

De todas as PME, quantas planeiam o seu sucesso? É uma pergunta simples, mas que deixará com certeza muitos empresários a pensar. Os objetivos traçados precisam de ser viáveis e com algum investimento para o êxito, mas a decisão é sempre da administração da empresa.

O primeiro passo para ter uma planificação correta é uma gestão minuciosa e eficaz. O passo a seguir é saber as tarefas que têm que realizar e quando realizar. No fundo, é como um jogo de xadrez, cada movimentação de cada peça terá um resultado. Quem tiver a melhor estratégia de ataque e de defesa, ganha o jogo.

Nos dias de hoje, um planeamento eficaz tem de ocorrer num tempo mais curto  para a sua penetração no mercado, ou seja, normalmente o ciclo de vida é mais limitado, porque os produtos ou serviços da concorrência a isso obrigam. É a lei da competitividade e temos sempre que estar atentos. O timing certo de execução é um dos segredos.

O mercado atual oferece muitas oportunidades, em vários níveis de negócio. Saber ao certo quais são as verdadeiras necessidades da empresa, pode abrir novas possibilidades e permitir ter um planeamento dinâmico e audaz.

O planeamento da empresa para o seu negócio vai permitir aumentar as vendas e a sua rentabilidade. O foco é fundamental.

A implementação é a parte mais difícil e fundamental do planeamento. Vamos para o “terreno” planificar todo o trabalho. Por último, é ir controlando a evolução da implementação e verificar se os resultados verdadeiros coincidem ou não, e se têm grandes desvios em relação aos objetivos planeados. Pode estar previsto utilizar o plano de contingência, para fazer alguns ajustes ao processo, pois é normal acontecer.

Senhor empresário, não tenha medo do sucesso. Pode ser trabalhoso, mas vamos lá chegar!

Comentários

Sobre o autor

Avatar

Liz Silva é presidente da AMA Empresarial – Associação de Marketing e Atitude Empresarial, proprietário do conhecido Projeto “Liz Silva - Palestras, Workshops e Treinos de Marketing & Negócios” e CEO de uma empresa de Marketing Estratégico. Empreendedor nato, é... Ler Mais