Petcube quer usar IA para o ajudar a compreender os seus animais de estimação

A start-up quer aumentar o conhecimento que temos dos nossos animais de estimação. A Y Combinator é uma das investidoras do projeto, que já recebeu mais de 8,5 milhões de euros em investimentos.

Aumentar a compreensão que temos dos nossos animais de estimação. É este o objetivo da Petcube, uma start-up norte-americana apoiada pela Almaz Capital e pela aceleradora Y Combinator.

O grande intuito é tentar melhorar a comunicação entre os humanos e os animais que temos em casa, de forma a prever e prevenir doenças.

A start-up é conhecida pelas suas câmaras conectadas por Wi-Fi, que dão a possibilidade ao utilizador de ver e interagir com os seus animais de estimação (veja o vídeo). Com esta tecnologia, os clientes da Petcube podem ainda partilhar os vídeos e fotografias, tirados através da aplicação mobile, nas redes sociais.

Estas funcionalidades, que já estão operacionais, nada se comparam com o objetivo futuro da start-up. Segundo o que o CEO e cofundador, Yaroslav Azhnyuk, disse à CNBC, a Petcube está a desenvolver software de deep learning que consegue analisar grandes quantidades de vídeo em bruto, capturados com as suas câmaras, de forma a melhorar a compreensão sobre o comportamento dos animais.

Apesar dos produtos atuais estarem categorizados como objetos de entretenimento, Azhnyuk referiu que “conseguimos avançar com conhecimento que temos dos nossos animais de estimação. Estamos a começar a perceber o nosso potencial para ajudarmos as instituições de pesquisa, tal como o Google, o Twitter ou o Facebook o fizeram durante os últimos anos”.

Daniil Stolyarov da Almaz Capital, explicou que, apesar de ser uma tecnologia que ainda vai demorar muito tempo a ser desenvolvida, os grandes players do espaço dos animais de estimação tendem a comprar outros negócios de forma a inovar e a gerar novas fontes de receita, em vez de os desenvolver dentro da empresa devido aos altos custos associados a este tipo de matéria.

Para além disto, o investidor explicou que os norte-americanos nunca gastaram tanto dinheiro com os animais de estimação como atualmente. Anualmente, cada americano gasta perto de 3500 dólares nesta esfera. Os portugueses também não ficam atrás. Segundo um estudo recente da GfK, a população portuguesa gasta, em média, 12% do seu orçamento familiar com os animais de estimação.

Comentários

Artigos Relacionados

Belén de Vicente, CEO da Medical Port
Mário Ceitil, presidente da Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas
Alexandre Meireles, presidente da ANJE