Os momentos de pós-férias são sempre profícuos. Trazemos normalmente o espaço e a quietude mental e emocional para refletir sobre alguns temas do nosso dia-a-dia pessoal e profissional, com maior consciência e responsabilidade sobre as nossas vidas.

Trago-vos um artigo que fala de paixão e propósito. Como a sua sobreposição, associação e sintonia, energiza a nossa vida profissional e pessoal. Traz vigor, energia, maior produtividade, motivação para se tornar ainda melhor, concentração e foco.

Vou usar a minha própria jornada. Quem bem me conhece sabe que sempre me “atirei” a novos projetos profissionais do “zero”. Literalmente uma folha em branco. A indústria, também conhecida de todos – tecnologias de informação. O que leva alguém, a criar, várias vezes, negócios ligados a uma industria, fortemente competitiva e consumidora de elevada energia?

Pois bem, sempre fui guiada por uma grande paixão e propósito.

Para clarificar o leitor, paixão é fazer o que se ama ou adora e propósito é fazer algo que contribui para a empresa ou para a sociedade. Quando fazemos o que adoramos e com um propósito de contribuir em simultâneo, co-criamos uma realidade, com energia, foco, trabalhamos de forma mais inteligente (não necessariamente mais horas) e estamos altamente motivados a cada momento.

Tenho uma grande paixão pela oportunidade de criar algo do zero, com elevada flexibilidade. Paixão por desenvolver pessoas, equipas e levá-las a experienciar a possibilidade de criar algo novo, pedaço-a-pedaço. Paixão por desenvolver o melhor potencial de cada um e guiá-las, com os seus próprios recursos a uma melhor versão de si próprias. Paixão pela realização e sucesso. Paixão pela aprendizagem, crescimento enquanto pessoa e profissional. Paixão por empreender.

Ao mesmo tempo, que vivo estas minhas paixões, elas têm um propósito ( fazer aquilo que contribui). Vivo a contribuição para poder melhorar a vida dos colaboradores e suas famílias. Trazer aos colaboradores, os projetos e as tecnologias que os ajudem a crescer pessoalmente e profissionalmente. Trazer valor aos nossos clientes e parceiros, com equipas técnicas de alto desempenho, melhorando o seu negócio e performance. Trazer valor às equipas que suportam o negócio e fazem crescer a organização como um todo.

Quando, sobrepomos  paixão e propósito, e conseguimos esta associação, ela confere-nos mais energia, para novos projetos ou para o nosso trabalho. Notem que, não se trata de trabalhar mais horas, mas trata-se de conseguir energizar cada hora do nosso trabalho, ou seja, trabalhar com qualidade e de forma mais inteligente. Os resultados podem ser surpreendentes para si, para a organização onde trabalha, para as equipas que lidera, clientes e parceiros.

Conseguir juntar paixão e propósito é definitivamente energia focada, dirigida, concentrada no seu trabalho e nas suas responsabilidades e como tal um melhor desempenho global que o levará ao sucesso. Verá que emoções positivas brotam de si. Alegria, satisfação, orgulho, inspiração, criatividade e a capacidade de servir melhor a si e aos outros.

Certamente tem dúvidas. Não sabe muito bem se esta associação “governa” o seu dia-a-dia? Pois bem, reserve um pouco do seu tempo, e faça algumas perguntas a si próprio e reflita sobre as respostas que obteve.

O que a organização pode dar-me? Os meus colegas? As minhas equipas? Os meus clientes e parceiros? A direção?

As respostas a que chegar, são a sua paixão ( faço o que amo/adoro).  A resposta pode ser tão redutora quanto – “a organização dá-me a possibilidade de intergir/ gerir pessoas e eu amo lidar com pessoas”. Ou pode ser mais específico e profundo na sua resposta, como “a organização dá-me a possibilidade de realização pessoal, crescer, aprender novas competências, liderar pessoas, desenvolver novos negócios, empreender, fazer vendas,  trazer novas parcerias, liberdade de decisão, estabelecer laços com clientes e colegas, interagir diretamente com os clientes, criar novos produtos, etc…”

Neste detalhe, encontra a paixão pela realização, paixão pela liberdade de decidir, paixão por criar algo novo, paixão por empreender, paixão pela aprendizagem, paixão pelo crescimento, paixão pelo sucesso, paixão por desenvolver outros talentos, paixão por empreender, paixão por vender, paixão por fazer acontecer, paixão por ajudar o próximo….

A outra pergunta é: o que eu posso dar à minha organização? À direção?  Aos meus colegas? Às minhas equipas? Aos meus clientes e parceiros?

As respostas a que chegar são o seu propósito (faço aquilo que contribui).

A resposta pode são tão abrangente quanto – “melhorar a vida das pessoas” ou mais específica como , “ajudar as pessoas/equipas a cooperarem entre si, contribuir para a direção operacionalizar a visão da empresa, inspirar colegas e equipas, ajudar os clientes a encontrar a melhor solução para o seu negócio/projeto, ajudar os clientes a crescerem, ajudar com novas ideias para novos produtos ou novos processos …”

Sabemos que manter esta chama acesa pode ser difícil, mas não é impossível. As boas noticias é que a situação que vive atualmente, caso não se reveja na mesma, pode ser apenas um estado momentâneo. É aí que reside a grande diferença – “eu sou” ou “eu estou”?

Estas perguntas podem ter mexido consigo e levado a uma tomada de consciência, mas não é o fim do mundo. Muitas pessoas vivem a sua paixão, mas não encontraram  (ainda) o seu propósito ou vice-versa. Ou nem um nem outro. É preciso avaliar o seu estado de recursos atual.

Ora sentimo-nos altamente energizados ora, sentimos desmotivação, falta de foco e concentração, mas é apenas um estado, porque não significa que você é assim. Isto não tem nada de errado. Tem de ganhar consciência da situação e fazer um “turn-around” à situação e regressar ao nosso binómio energizante da paixão e propósito. Pode regressar a este equilíbrio? Alimentá-lo? Ou até encontrá-lo na sua atual função?

Sim, claro que pode!
Deixo três dicas que pode seguir.

  • Inspire-se a si e aos outros. Contagia-se a si e aos outros com a sua paixão e propósito. Relembre as suas paixões e propósito. Como escreveu Maya Angelou, poetisa e escritora norte-americana, “aprendi que as pessoas esquecerão aquilo que disse, aprendi que as pessoas esquecerão aquilo que fez, mas nunca esquecerão com as fez sentirem-se” – inspirar-se a si e aos outros, é isso mesmo.
  • Desenvolva os seus pontos fortes na organização e isto alimentará definitivamente a (s) sua(s) paixões, aditivado pelo propósito do que elas contribuem para a organização e para si. Descubra os seus pontos fortes, que ama ou adora fazer e desenvolva-os. Peça ajuda aos seus colegas ou direções mais abertas, para o fazerem em conjunto.
  • Escolha tarefas ou atividades que sejam pessoalmente significativas para si e tragam valor para a organização, e que não prejudiquem ninguém (objetivos aspiracionais, por exemplo).

Tome responsabilidade pela sua vida. Sinta-se motivado, enérgico e feliz no trabalho, associando a sua paixão e propósito no seu dia-a-dia. Irá atingir, melhores resultados, mais vigor, mais energia, experienciará sucesso, melhor desempenho, trabalho feito de forma mais inteligente e mais tempo de qualidade para si.

O sucesso não é dos que necessariamente trabalham mais horas, mas os que trabalham cada hora com esta associação energizante – paixão e propósito.

Bom regresso ao trabalho!

Comentários

Sobre o autor

Avatar

Sónia Jerónimo tem mais de 20 de experiência na área da gestão e liderança de empresas ligadas às tecnologias de informação. Após a sua licenciatura em Economia, iniciou a sua carreira no mundo académico como professora nas áreas de Economia... Ler Mais