Pacto de Mobilidade Empresarial para Lisboa com mais 20 empresas

Unir empresas e instituições no objetivo comum de criar uma mobilidade empresarial mais sustentável para a Lisboa é o propósito de Pacto de Mobilidade Empresarial para Lisboa que acaba de juntar mais 20 nomes à sua lista de aderentes.

O Pacto de Mobilidade Empresarial para Lisboa acaba juntar mais 20 empresas ao projeto, que já contava com a participação de outras 57 empresas e instituições. A Jerónimo Martins, a BMW Portugal, Kapten ou Delta Cafés são algumas das novas empresas que aderiram ao projeto.

Este Pacto resultou de um compromisso entre o Business Council for Sustainable Development (BCSD Portugal), o World Business Council for Sustainable Development (WBCSD) e a Câmara Municipal de Lisboa (CML), e tem com objetivo contribuir para uma mobilidade mais sustentável, em Lisboa, através de medidas concretas que promovam a mobilidade na cidade, primeiro através da criação de condições para adoção de novos comportamentos e de novas soluções pelas empresas e pelos seus colaboradores, mas também através do alargamento destas medidas a fornecedores e clientes.

Assim, na sequência deste compromisso, as empresas e instituições aderentes, agora num total de 77, comprometem-se a adotar medidas para que a cidade de Lisboa tenha um sistema de mobilidade mais seguro, acessível, ecológico e eficiente, conforme os princípios fundamentais da colaboração, do compromisso, da transparência e da segurança, refere o comunicado da BCSD.

A criação de redes de partilha de bicicletas, a promoção de trabalho remoto, o aumento do número de veículos elétricos em frotas de uso privado e operacional, a instalação de balneários para promover a utilização da bicicleta com meio de transporte ou ainda a atribuição de passes de transporte aos colaboradores são algumas das iniciativas que podem vir a ser adoptadas pelas empresas  que integram o Pacto.

“É tempo de agir. O Pacto de Mobilidade Empresarial fornece às empresas colaboração, inovação e metas ambiciosas. Esses são os meios que nos ajudarão a alcançar a nossa visão de cidades sustentáveis”, defendeu João Wengorovius Meneses, secretário-geral do BCSD Portugal. “Esta nova vaga reforça o empenho das empresas em participar num projeto conjunto com outras entidades e a vontade de aderir a iniciativas que contribuem proactivamente para a melhoria da mobilidade em Lisboa”, acrescentou.

Comentários

Artigos Relacionados