A maioria dos líderes considera que os seus colaboradores não possuem as competências necessárias para uma transformação digital bem-sucedida, segundo um estudo realizado pela Universidade Técnica de Munique e a SAP.

Intitulado “Skills for Digital Transformation”, o estudo desenvolvido pela Universidade Técnica de Munique e pela SAP avança que as empresas consideram a transformação digital como algo absolutamente crucial, mas que a sua maioria ainda não definiu uma estratégia que dote os seus colaboradores das competências necessárias para a literacia digital.

Este estudo reuniu dados de 116 decisores de negócios e de Tecnologias de Informação em 18 países, sendo uma continuidade do estudo realizado em 2015.

Em 2015 o mesmo estudo tinha constatado que 53% dos entrevistados consideravam que os seus colaboradores não possuíam as competências necessárias para uma transformação digital bem-sucedida. Em 2017, este número aumentou para 64%.

“O talento digital ameaça tornar-se no principal obstáculo da digitalização no setor. O défice em competências digitais ainda está entre as principais barreiras à transformação digital,” refere Bernd Welz, vice-presidente e chief knowledge officer de Produtos e Inovação da SAP. “O investimento na educação e na capacitação dos colaboradores nunca foi tão importante, na medida em que o desenvolvimento da literacia digital na força de trabalho permitirá um caminho contínuo para a transformação digital das empresas”, acrescentou.

Como possíveis explicações para este aumento, o estudo avança com a crescente velocidade da inovação tecnológica e a crescente consciencialização no que à transformação digital diz respeito.

“Ao longo do tempo, os executivos podem ter desenvolvido um melhor julgamento sobre as necessidades da sua empresa ao nível das competências, assim como uma melhor avaliação daquelas que estão disponíveis internamente”, avançou a SAP em comunicado.

Embora 90% dos entrevistados percecionem a transformação digital como importante para a estratégia de negócio global da empresa, o desenvolvimento de competências específicas revelou-se uma raridade. Apenas 16% dos entrevistados levaram a cabo um programa de recrutamento dedicado ou formação para construção de uma base de competências necessárias para moldar o futuro digital da sua empresa. Constatou-se, todavia, um amplo consenso entre os entrevistados quanto ao conjunto de competências digitais necessárias.

“Este estudo enfatiza que muitas organizações ainda estão numa fase de orientação para a transformação digital. À medida que as novas tecnologias continuam a surgir, as empresas devem ser proativas na definição de uma estratégia para a implementação digital que inclua todas as áreas e níveis de negócio”, referiu o professor Helmut Krcmar, do Departamento de Informática da Universidade Técnica de Munique.

Para dar resposta à necessidade identificada, a SAP está a conduzir um estudo em colaboração com o Centro de Pesquisa Europeu de Sistemas de Informação (ERCIS), para identificar as melhores práticas que as empresas podem seguir para o desenvolvimento das competências necessárias a uma transformação digital bem-sucedida.

A empresa já identificou um plano de recrutamento sistemático e o desenvolvimento de competências com base na análise das necessidades de aprendizagem como os fatores fundamentais para dotar os colaboradores com competências avançadas para as novas funções de trabalho. O plano inclui ações para moldar a cultura de aprendizagem dentro das empresas, de modo a atingir-se uma aprendizagem autodirigida, colaborativa e contínua, com a ajuda de um sistema integrado de gestão de aprendizagem.

Comentários