Enquanto investidor-anjo e mentor de empreendedores e start-ups, passo bastante tempo a conversar com empreendedores e fundadores de start-ups que procuram escalar e desenvolver os seus projetos.

Tenho notado cada vez mais que o foco dos fundadores tem sido o de melhorar o seu “pitch”, em preparar uma apresentação que cumpra todas as regras que leem nos livros ou que aprendem em programas de aceleração, e que lhes permita fazer uma apresentação rápida do seu projeto para conseguirem o tão desejado investimento.

Infelizmente muitas vezes não vemos o mesmo investimento de tempo na melhoria do produto/serviço que está a ser proposto, ou até no modelo de negócio ou organização interna.

É claro que investir algum tempo em networking, e numa apresentação clara e concisa que passe a mensagem rapidamente a potenciais investidores é importante, não estou a dizer o contrário, mas noto um claro desbalanceamento de tempo investido nessa parte do trabalho do fundador em detrimento do trabalho de base naquilo que efectivamente vai fazer a diferença – O produto/serviço.

Talvez isto seja um pouco o resultado do mediatismo dado a estas apresentação, aos vários programas onde os fundadores têm de rapidamente passar a sua mensagem e obter financiamento e à imagem de que o financiamento vem de imediato no final dessas apresentações, o que não é verdade, na maior parte dos casos há apenas um abrir de portas para conversas mais aprofundadas antes do investidor se comprometer a de facto entrar no projecto.

A mensagem mais importante que quero deixar para os fundadores e empreendedores é que a maioria do tempo e recursos devem ser investidos em melhorar o produto/serviço que estão a oferecer. Invistam tempo em falar com actuais e potenciais clientes, compreendam bem a necessidade do mercado e que características são importantes para os vossos clientes, quais as componentes que vão diferenciar o produto? O que faz do produto algo pelo qual o cliente esteja disposto a pagar e quanto? Invistam tempo a melhorar continuamente o vosso produto/serviço e façam com que ele e o feedback dos vossos clientes sejam o vosso melhor “pitch”.

Podem crer que se investirem nessa componente e conseguirem chegar a um produto ou serviço que todo o cliente queira, cujo feedback e vendas sejam fantásticos, o vosso trabalho de procura de investidores sairá imensamente facilitado, por ventura em vez de terem de procurar investidores, serão eles quem vos irão procurar, e acreditem isso não só simplifica o sucesso da obtenção de investimento como também vos potencia muito melhores condições negociais, seja pela valorização da empresa, pelo montante de diluição que necessitam ou outras condições negociais.

Não é uma questão de 8 ou 80, mas sim de procurar o equilíbrio correcto e que vos dê o maior retorno. Não invistam demasiado tempo e recursos apenas na busca do investidor. Se estiverem de facto numa fase activa de busca de investidores dediquem entre 10% a 20% do vosso tempo a esta tarefa, mas os restantes 80% a 90% devem ser investidos em melhorar o vosso produto e a vossa empresa. Como disse o cofundador da Stack Overflow, Joel Spolsky “Nada funciona melhor do que simplesmente melhorar seu produto”.

*E fundador e CEO da Igniting Potential

Comentários

Sobre o autor

Avatar

Eduardo Clemente, 40 anos, é um disruptor criativo que vê na tecnologia um potenciador do desenvolvimento. Nasceu em Portugal e formou-se em Organização e Gestão de Empresas, no ISCTE. Cedo se mudou para Angola onde reside há 15 anos, todos... Ler Mais