Como é que uma plataforma ajuda os atletas de alta competição a investir? Em que é que consiste a Batch? Quais os desafios do setor da logística? Estas e outras questões estiveram em destaque no Spe Futuri, Investidores desta semana, que contou com a presença de António Cacorino, cofundador e CEO da Apex Capital, e Pedro Vasconcelos, CEO da Batch, que quer fazer chegar aos consumidores as encomendas no mesmo dia ou no prazo de duas horas.

Leia alguns headlines:

António Cacorino, CEO da Apex Capital

“Eu e o Pedro Félix da Costa passámos muito tempo no mundo do automobilismo, mas noutros desportos também e começámos a ver que nos atletas de alta competição encontrava-se dois perfis. O atleta que não investe por uma questão de não conhecer, não confiar ou quando investe, investe mal por ser mal aconselhado. E há o segundo caso, o atleta que começou cada vez mais a investir, mas investe de uma forma passiva, sem entender. Até pode haver ruma boa conservação do capital, mas ele não está envolvido”.

“Começámos cada vez mais a ver que os atletas são pessoas que podem trazer muito ao negócio, porque são pessoas que têm uma boa imagem, são pessoas que têm muitos contactos, são pessoas com muita capacidade, nascem de uma carreira muita competitiva. Portanto, criámos a Apex para ajudar a tornar os atletas em investidores ativos”.

“Estamos muito focados em áreas dentro do venture capital e de private equity porque aí os atletas fazem mais diferença como investidores. A Batch foi o nosso primeiro investimento – tinha uma visão boa, uma equipa extraordinária acima da média, pessoas de confiança. O investimento na Batch deu-nos um push para avançarmos com a Apex”.

“Os atletas são pessoas que tiveram de abdicar muito de tudo para serem top 20, top 30 no mundo do que fazem, o que é algo difícil. Portanto, eles ganham muita segurança nisto, mas depois tudo o que é fora disso, como no mundo dos investimento, tornam-se inseguros. Essa insegurança bloqueia-os, pelo que muita vezes não se querem meter. E como no passado também houve histórias infelizes de má gestão ou de gestão propositada gerou também um maior medo do lado dos atletas”.

“Garantimos que os atletas só investem no que querem, no que pretendem. Eles podem até ouvir uma, duas, três, quatro, cinco oportunidades, mas só vão investir mesmo quando sentem [que o querem fazer]. Nós somos muito claros em relação ao risco das oportunidades”.

“Começámos no automobilismo e já estamos a crescer. Já temos atletas do mundo do futebol, do mundo do ténis, do mundo do golfe. E a nossa ideia é sermos global no sentido de termos todo o tipo de atletas no mundo inteiro e também que as próprias oportunidades sejam globais”.

Pedro Vasconcelos, CEO da Batch

“Quando falámos com a Apex tínhamos literalmente uma ambição gigante. Tínhamos um powerpoint com 10 ou 15 slides para mostrar a nossa ideia. E desde o primeiro momento que falámos com a Apex sentimos que fomos bastante bem recebidos, que perceberam bastante bem o que estávamos a fazer porque a Batch está muito ligada à performance, eficiência e rapidez, valores que os desportistas têm também consigo na sua génese”.

“Os desportistas sabem perfeitamente o que um empreendedor passa. Eles ao longo da sua carreira e da sua vida passam por momentos muito bons como o António Félix da Costa que ganhou agora o prémio de primeiro lugar no Mónaco. Mas também há momentos da sua carreira que estão lá em baixo e que têm de encontrar maneiras de se superar, de encontrar alternativas, novos caminho que é o que também nós, como empreendedores, temos de fazer”.

“O investimento da Apex permitiu-nos arrancar com a Batch e, nestes curtos meses que temos de vida, 5, 6 meses, já conseguimos trazer para a plataforma mais do que 80 retalhistas. Estamos a crescer tão rápido que já estamos a fazer outra ronda de investimento”.

“A Apex tem desportistas, tem uma rede de contactos muito interessante para qualquer negócio e não só em Portugal. Os contactos que têm estão muito alinhados com a nossa ambição de escalar e de ir para outros mercados. E sentimos que essa parte de business development é uma componente essencial na Batch”.

“Estamos a falar de atletas que são top 10, top 20 no melhor que fazem e quem me dera a mim ser top 10, top 20 no melhor que eu faço. Portanto, eu vejo esta relação [empresa investida e investidor]como uma aprendizagem dos dois lados”.

Comentários