Em 2006, a minha mulher e eu mudámo-nos para San Diego para iniciar um tempo de ensino universitário e liderança em empreendedorismo e gestão. Enquanto lá, e quase com 50 anos de idade, comecei a andar, encontrando tempo na maioria dos dias para passar uma ou duas horas em qualquer um dos incríveis   trilhos e caminhos ao redor do oceano e da baía. E agora, nos últimos cinco anos no Texas, não cessei a esta disciplina e de facto aumentei a minha quilometragem.

A minha  média nestes últimos anos foi de mais de 1.600 quilómetros por ano, ou um acumulado de 25.000 quilómetros durante esses anos. Ainda não calculei o número total de horas dedicadas a  caminhar, mas é sem dúvida um número muito elevado também.

Mas para além da mera realização de um objetivo pessoal, melhoria da saúde e escolha de um estilo de vida, aprendi alguma coisa que se aplique aos meus interesses empresariais e de investimento ao longo destes anos de longas caminhadas? Sim, aprendi!

Aqui estão algumas das minhas observações:

  • Separar-me da minha secretária e do meu escritório permite-me pensar mais profundamente em vários tópicos… muito mais profundo. Não  me interpretem mal – não estou a dizer que fiz quaisquer avanços intelectuais ou filosóficos nas minhas caminhadas, mas isso dá-me uma melhor oportunidade de considerar decisões mais cuidadosamente estratégicas e táticas  para os meus investimentos que estou convencido de que não teriam ocorrido no meu escritório. Isto é mais verdade para mim, assim como reflito sobre conceitos, questões e tendências mais recentes nos negócios.
  • Não totalmente alheio ao ponto acima é uma capacidade reforçada de ver detalhes e nuances que eu estava falhar em análises, conversas e oportunidades anteriores. Já reparaste que podes passar por algum lugar ou marco durante anos e depois um dia ver algo que nunca tinhas reconhecido antes? Caminhar permite que toda uma gama de sentidos perceba as coisas para além do óbvio e agarre itens importantes e menos óbvios em pessoas, produtos e processos que eu anteriormente ignorei.
  • Caminhar permitiu-me refletir sobre as minhas próprias falhas e áreas que precisam de ser melhoradas que a arena da tomada de decisões diárias dos negócios normalmente impede. Por exemplo, tratei bem aquele funcionário, ouvindo o que realmente me estava a ser comunicado em vez do que estava pré-programado para ouvir e responder? Poderia ter feito algo melhor, mais eficaz, mais compassivamente, mais graciosamente? Caminhar dá tempo para considerar não só as minhas vitórias, mas as minhas fraquezas e falhas numa conversa saudável comigo mesmo.
  • Aprendi a moldar melhor e a aperfeiçoar os meus esforços de escrita e comunicação durante os meus passeios. Há uma série de  espaços, empresas e formatos em que preciso de comunicar regularmente, muitas vezes por escrito, e através de várias culturas e empreendimentos. Durante os meus passeios, costumo “compor na minha cabeça” e, quando se trata de colocar palavras no papel, é um processo muito mais fácil do que olhar para um ecrã e esperar que as palavras e diretivas certas fluam.
  • Finalmente, aprendi a ser menos volátil e explosivo do que nos meus primeiros anos de negócio, de empresa e liderança universitária. Sou de uma longa linhagem de homens portugueses bastante agressivos e vocais, e como a minha pressão sanguínea e a tensão têm sido melhor geridas, acho que estou em melhor posição pessoalmente para abordar um problema ou crise de uma forma mais calma e, em última análise, mais eficaz do que ficar bombástico e assertivo.

Embora eu não afirme que caminhar é a forma exclusiva de alcançar estas coisas, tendo ao longo dos anos passado tempo em corridas de longa distância, boxing, tempo de ginásio e outras atividades físicas, acredito que caminhar tem alguns benefícios e capacidades únicas que permitem a quase todos nós, independentemente do seu estatuto, estado, sexo ou idade. Experimente a caminhada regularmente, mesmo se por apenas alguns quilómetros – os seus amigos, funcionários, pares e familiares podem muito bem ver uma diferença positiva em si!

Comentários

Sobre o autor

Avatar

Randy M. Ataíde é um experiente CEO, empreendedor e educador com mais de 40 anos de experiência prática de negócio. Atualmente é investidor e consultor numa grande variedade de empresas norte-americanas e portuguesas, em imobiliário residencial e comercial, hospitality e... Ler Mais