Em novembro, start-ups de todo o mundo vão reunir-se em Nova Iorque para a final do Challenge CUP, um evento criado em 2013 e que tem como objetivo encontrar as start-ups mais promissoras e inovadoras à escala mundial.

Até lá estão a decorrer os concursos locais, em mais de 50 cidades a nível mundial, através dos quais são escolhidas as start-ups que vão disputar a final. As inscrições são feitas através da rede UNION que apoia as start-ups em todo o processo. Através dos concursos locais do Challenger Cup, centenas de empreendedores têm a oportunidade de partilhar as suas ideias a nível global.

Para se candidatarem ao desafio, as start-ups têm de preencher um vasto conjunto de requisitos (https://www.1776.vc/challenge-cup/apply-to-compete/), entre os quais trabalharem em sectores industriais críticos ou em tecnologias emergentes.

A edição do ano passado contou com a participação de mais de 50 cidades, número que este ano subiu para 75. O programa envolve toda a rede UNION, uma plataforma digital que liga ecossistemas de start-ups em todo o mundo, disponibilizando aos empreendedores onde quer que estejam os recursos e as ferramentas que precisam para serem bem-sucedidos.

Em 2016, a grande vencedora foi a MUrgency, uma start-up sedeada no Dubai que usa as potencialidades da tecnologia móvel para criar uma rede de resposta de emergência global.

Esta iniciativa mundial, que mais do que uma competição pretende criar um movimento de start-ups que traga ao mundo ideias transformadoras para a vida, é promovida pela 1776, uma incubadora global e com capital-semente que tem um objetivo maior: construir uma comunidade global para fornecer o capital intelectual, social e financeira de que as start-ups precisam para terem sucesso.

O 1776 Challenge Cup, que este ano tem a parceria da Revolution, uma empresa de investimentos, realiza-se há quatro anos. As start-ups vencedoras vão ser divulgadas na semana de 13 a 17 de novembro, em Nova Iorque.

Comentários