A Terah nasce da aliança entre a tecnologia, o know-how farmacêutico e o conhecimento das necessidades da população.

Auxiliar os utentes na gestão dos seus medicamentos, de forma a evitar a sua utilização incorreta, é a missão da Terah, uma nova aplicação mobile que acaba de ser lançada em Portugal.

De acordo com João Mota, farmacêutico e fundador desta app, “a Terah assume-se como uma plataforma inovadora, que se pretende única no mercado nacional e internacional, e que assenta a sua vantagem competitiva num conjunto de valências, reunidas num único suporte, à distância de um clique”.

O projeto surgiu para colmatar um problema de saúde pública, concretamente o facto de 50% dos utentes não efetuar a toma dos medicamentos corretamente”, identificou a Organização Mundial de Saúde (OMS). Aliás, e ainda segundo este organismo, “10% dos internamentos deve-se ao uso incorreto de medicamentos”.

Esta aplicação recorre a tecnologia loT e ao conhecimento científico e farmacológico para indicar as sobreposições e interações terapêuticas, as recomendações sobre as tomas dos medicamentos, ao mesmo tempo que alerta o utilizador para os horários prescritos.

Disponível em Android e IOS, a Terah reúne valências como, por exemplo, a base de dados com todas as terapêuticas aprovadas pelo Infarmed (mais de 50 mil medicamentos); o alerta para incompatibilidades entre prescrições terapêuticas; os memorandos na hora da toma de medicação; a garantia do controlo do historial de dados clínicos (ex: terapêuticas e IMC); e a disponibilidade de acesso pelo médico e por outros profissionais de saúde às terapêuticas do paciente.

Comentários