Negócios do mês: Claranet vai às compras no Brasil e Microsoft realiza segunda maior aquisição de sempre

Este mês foi profícuo em negócios nas tecnologias. A Claranet adquiriu a Mandic no Brasil, tornando-se numa das maiores fornecedoras de serviços de IT no país. Já a Microsoft realizou a segunda maior compra da sua história, ao adquirir a Nuance para explorar a indústria da saúde através das soluções de IA e cloud.

Claranet reforça operações no Brasil em serviços de cloud com Mandic
A Claranet, especialista em soluções de cloud, hosting, redes, segurança e workplace “as a service”, comprou a empresa brasileira Mandic, que fornece serviços de tecnologias de informação (TI). Em comunicado, a tecnológica destaca que esta aquisição faz parte do plano de crescimento para o mercado brasileiro, referindo que as suas receitas triplicaram em menos de oito meses de operações, num valor de 37 milhões de euros, com uma margem EBITDA à volta dos 30%.

A empresa norte-americana de private equity, Riverwood Capital, que até aqui tem sido o principal investidor da Mandic desde 2021, vai continuar a ter uma participação minoritária na Claranet Brasil.

O negócio dita assim o crescimento do número de colaboradores no mercado brasileiro na empresa portuguesa para 450, que vão servir 5 mil clientes empresariais. No seu portefólio estão nomes como a Embraer, Banco Inter, Banco Fibra, Samsung, Travelex e Sky.

“A nossa ambição é continuar a acelerar o nosso crescimento, manter a agilidade e garantir que continuamos a oferecer as soluções de tecnologia mais inovadoras aos nossos clientes”, destaca Edivaldo Rocha, CEO da Claranet Brasil.

Já António Miguel Ferreira, executivo da direção do grupo Claranet salienta as 30 aquisições da empresa nos últimos nove anos, sendo três deles no Brasil: a CredibiliT em 2017, a CorpFlex em 2020 e agora a Mandic. “Estamos a fazer no Brasil o mesmo caminho que iniciamos noutros países da Europa, conciliando crescimento orgânico com consolidação do mercado, para atingir a liderança”.

Microsoft compra Nuance por 20 mil milhões de dólares
A Microsoft e a Nuance Communications anunciaram o acordo definitivo para a aquisição da tecnológica pioneira em software de reconhecimento de voz e mais recentemente focada na indústria da saúde. Esta é a segunda maior aquisição de sempre da gigante de Redmond, depois da compra do LinkedIn em 2016 por 26 milhões de dólares (21 milhões de euros).

A Nuance é uma das empresas mais experientes na área de investigação de tecnologia de inteligência artificial no reconhecimento de voz, sendo conhecida por ajudar a Apple a criar o software do assistente inteligente Siri. Mas essa não é a principal razão de interesse na aquisição. A Nuance tem vindo a dedicar a sua plataforma de IA ao setor da saúde, como, por exemplo, na criação de software que ajuda a automatizar os relatórios radiológicos, ajudando os médicos a ditar as suas anotações clínicas durante a observação dos pacientes.

“A Nuance é uma líder de confiança em cloud e software de IA, representando décadas de experiência na área da saúde e IA empresarial”, descreve a Microsoft no comunicado. O CEO da Nuance, Mark Benjamin, continuará à frente da empresa, reportando diretamente ao vice-presidente executivo de cloud e IA da Microsoft, Scott Guthrie. O negócio deverá ser fechado no final do ano.

A aquisição, nas palavras da própria gigante tecnológica, é acelerar a sua oferta de cloud às novas oportunidades que estão a surgir na área da saúde. Em 2020 a Microsoft introduziu a Cloud For Healthcare, que visa acompanhar a rápida transformação e crescimento da indústria da saúde, muito impulsionada pela investigação de vacinas para a Covid-19. E a aquisição da Nuance é um ponto-chave nessa estratégia. Nas palavras do CEO da Microsoft, Satya Nadella, “IA é a tecnologia com maior prioridade, e a saúde é a mais urgente aplicação”.

A Nuance foi fundada em 1992 em Massachusetts, contando com 1.600 empregados a nível global e com presença ativa em 28 países. Considerando a sua posição de quase 80% nos hospitais dos Estados Unidos, a aquisição da empresa vai permitir a expansão da Microsoft na área da saúde. A Nuance passa também a aceder às ofertas de cloud Azure da Microsoft, numa parceria que já durava desde 2019.

 

Comentários

Artigos Relacionados