O EIT Urban Mobility Hub Portugal está a desafiar start-ups, scaleups e investigadores a apresentarem soluções de mobilidade urbana. As inscrições podem ser efetuadas até 29 de novembro.

O EIT Urban Mobility Open Innovation Program, desenvolvido pela EIT Urban Mobility Hub Portugal e pelo EIT Urban Mobility, promove a partilha de conhecimentos e soluções que respondam a desafios reais enfrentados por alguns municípios portugueses.

As propostas devem ser submetidas até o dia 29 de novembro. Posteriormente, realizar-se-á um evento online, nos dias 9 e 10 de dezembro, durante o qual os candidatos terão oportunidade de trabalhar com o EIT Urban Mobility Portugal Hub e a Vodafone Power Lab na sua solução e apresentá-la aos representantes dos municípios envolvidos (Câmara Municipal da Covilhã, do Fundão e Área Metropolitana de Lisboa).

Serão escolhidas cinco soluções que receberão um prémio monetário no valor de 1.800 euros. A entrega de prémios está prevista para dia 15 de dezembro.

O EIT Urban Mobility é uma entidade do Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia que chegou a Portugal recentemente para aumentar o conhecimento sobre as questões de mobilidade urbana nas cidades e incentivar ideias e soluções inovadoras para melhorar a situação do tráfego, bem como resolver outros problemas de mobilidade urbana no país.

O EIT Urban Mobility Hub Portugal, constituído pela BGI – Building Global Innovators, IASA e Thales Portugal, acolheu este novo programa que utilizará as cidades portuguesas como laboratórios, para provar que a inovação tecnológica, aliada ao espírito e ao talento empreendedor, pode transformar a mobilidade num processo mais inteligente.

“São vários os benefícios oferecidos aos que desejam apresentar as suas soluções. Não só terão uma excelente oportunidade de desenvolver, em grupos multidisciplinares, soluções para estes desafios e de apresentá-las aos municípios – com a possibilidade de criação de pilotos e parcerias -, como também terão acesso a desenvolvimento de negócios e workshops de pitch , bem como a oportunidade de pertencer à maior rede de mobilidade da Europa”, explicou  Gonçalo Amorim, CEO da aceleradora.

Comentários