Os empreendedores e empresários acreditam que a realidade digital ainda tem um longo caminho pela frente. A conclusão resulta de um estudo promovido pela Beta-i.

“Aprendizagem em tempos de pandemia – uma pesquisa sobre mudanças de mindset” é a designação do estudo que a consultora Beta-i revelou estou esta semana, depois de um inquérito (realizado entre maio e junho) em  que participaram 58 players do ecossistema nacional e internacional, incluindo fundadores de start-ups, CEO e diretores de grandes empresas, investidores e think tanks, com escritórios em Portugal e em países como Áustria, Bélgica, Brasil, República Checa, Dinamarca, Finlândia, França, Líbano, Espanha, Turquia, Estados Unidos  e Itália.

Entre as várias conclusões desta pesquisa está a constatação de que a digitalização do mercado e a transformação digital das empresas ainda têm um longo caminho a percorrer para se tornarem realidade e, no pós-pandemia, o futuro das relações entre empresas, fornecedores, start-ups e investidores passará por escolhas mais conscientes.

Vejamos: para 56,9% das start-ups, empresas e investidores inquiridos, a pandemia veio provar que a crença de que todo o mercado está digitalizado é, na verdade, um mito. O estudo indica que com o regresso gradual à normalidade, 34,5% das start-ups e das empresas admite que, mesmo recuperando o volume de vendas, terão de reinventar o seu core business. Por outro lado, 27% afirma que o seu negócio ainda não é suficientemente digital.

Em relação a previsões para a fase pós-pandemia, 50% dos participantes acredita que as relações B2B entre empresas, fornecedores e investidores irão passar a considerar novos fatores ambientais e sociais nos processos de compra e investimento. Já 36,2% pondera que o consumidor irá tornar-se cada vez mais atento à forma como as empresas produzem e desenvolvem os seus negócios.

Quando questionados sobre o que farão de forma diferente a partir de agora em termos de gestão da inovação, 51,7% dos players do ecossistema afirma apostar na aceleração da transformação digital do seu core business, 39,7%  diz investir em novos produtos e serviços, 37,9% pretende digitalizar o seu backoffice e 24,1% criar fundos de manutenção para momentos de emergência.

Pedro Rocha Vieira, cofundador e CEO da Beta-i, afirmou que “o cenário de pandemia não só veio despertar uma urgência em inovar e transformar as empresas como veio marcar o início da verdadeira Era Digital. Nos últimos anos, a digitalização tem sido um hot topic, mas será que o mercado sabia verdadeiramente que processos implicava? A Covid-19 veio assim provar que muitos de nós não estavam devidamente preparados para enfrentar um shutdown sem precedentes. Neste sentido, este inquérito mostra como a perceção de um mundo digital precisa de ser trabalhada, e sensibiliza para o tema da reinvenção tecnológica como inevitável neste «novo normal”, conclui.

Comentários