Atualmente, há cada vez mais mulheres a assumir cargos de direção e de gestão empresariais incluindo as direções dos departamentos em Marketing e Comunicação, segundo estudos apresentados já no decorrer deste ano, que indicam um aumento de 41% de mulheres em funções de direção neste setor (Informa D&B 2020).

Durante algum tempo, as áreas do Marketing e da Publicidade estavam reservadas aos homens e o dia a dia e as histórias dos seus gestores são por vezes tornados conhecidos em personagens de filmes como, por exemplo, “Do que as mulheres gostam”.

No entanto, este cenário foi palco de transformações significativas nas últimas décadas a nível global e também a nível nacional. Uma das principais mudanças está relacionada com o relevo e o destaque que tem vindo a ser dado às capacidades e características das mulheres no mercado de trabalho. O outro fator que merece destaque prende-se com o nível de escolaridade e de formação profissional do género feminino em Portugal.

Relativamente à primeira mudança, começaram a destacar-se e a serem assumidas as características das mulheres, como a habilidade de comunicação, a facilidade na gestão e na liderança conciliadas com atitudes de autoconfiança e responsabilidade, tudo isto aliado a uma dimensão muito importante para todos – o plano pessoal e familiar. Também aqui têm vindo a ser registadas alterações que culminam na observação de estratégias pessoais que favorecem a conciliação da vida pessoal e familiar com a carreira profissional.

No que diz respeito ao aumento da formação académica, é possível referir que de forma global, há mais mulheres a trabalhar nas áreas do Marketing e da Comunicação a nível nacional, mas o aspeto muito positivo revela-se quando os números dos estudos realizados recentemente comprovam um aumento de mulheres em cargos de direção executiva em Marketing e em Comunicação tendo registado 41% em 2020 (Informa D&B 2020), contra os 38% registados em 2018.

Adicionalmente é importante registar que há cada vez mais um número maior de mulheres com formação superior, não só ao nível da licenciatura como ao nível de doutoramento. Desta forma, a percentagem de mulheres diplomadas registada pelo INE é de 58,3% em Portugal e os dados revelam que a percentagem de mulheres que defendem o doutoramento no panorama nacional é de 53,2% (PORDATA).

Estes dados levam a concluir que, por um lado as mulheres em Portugal apresentam maiores níveis de escolaridade o que associado às suas características inatas lhes fornece condições para trabalhar nos seus empregos com maior profissionalismo o que permite impulsionar as suas carreiras, tornaram-se mais visíveis em lugares de gestão ou de liderança tanto no setor público como no segmento empresarial privado.

No entanto ainda há muito trabalho a desenvolver e na minha opinião a formação avançada, principalmente em áreas dinâmicas como o Marketing e a Publicidade torna-se uma mais-valia poderosa para o desenvolvimento da atividade profissional.

*Instituto Superior de Gestão

Comentários