O marketing é uma área que, por vezes, não é valorizada conveniente. Tem um âmbito muito específico, para ajudar as empresas a se valorizarem e a seguirem o rumo certo para alcançar os seus objetivos. Esta é sem dúvida a essência pura e ideológica do marketing.

Os quatro P’s farão sempre a base de qualquer marketer, ou seja, o produto/serviço para colmatar uma necessidade, qual é o preço justo, qual será a melhor distribuição para a empresa e consumidor e como vamos dar-lhe notoriedade adequada (promoção).

Nos dias de hoje, por exemplo, quando nos confrontamos com a rápida evolução tecnológica a que temos vindo a assistir, vemos o impacto de 180º que teve o nosso quotidiano. Agora, imaginem a adaptação célere que o marketing teve, para se ajustar.

Reparem que os consumidores de hoje estão melhor informados, quer seja pela internet, pelos canais de televisão, jornais ou pelo número de concorrentes por setor, entre outros métodos de informação. O consumidor tornou-me muito mais participativo e, sobretudo, muito mais poderoso. Não gosta, deita fora.

Temos assistido ao longo dos anos a uma evolução do comportamento do consumidor e, por corolário, a uma adaptação do mercado, para ir ao encontro das diferentes necessidades. Esta evolução obrigou as empresas a modificar as suas estratégias de marketing, com o objetivo de encontrar novas soluções para ganhar posição em relação aos concorrentes.

Em anos transatos, a ideia do marketing era para algumas empresas ousadas ou financeiramente fortes. Com a democratização do marketing, com muita influência do marketing digital, o marketing está ao alcance de qualquer empresa.

O marketing digital já faz parte da vida de qualquer pessoa com acesso à Internet e é difícil imaginar como seria viver num mundo sem eles os dois. É quase impossível!

Existem, hoje em dia, duas tendências importantes no marketing moderno e atual. Por um lado, reconhecer que o consumidor é mais do que um simples cliente.  O marketing deixa de tratar os seus consumidores como apenas consumidores, mas, sim, como pessoas únicas que procuram produtos/serviços únicos (personalizados). Procuram experiências que proporcionem sensações e causem valor ao mesmo tempo.

Por outro lado, está a entrar no mundo do mercado uma nova geração (com idade máxima de trinta e cinco anos) que tem necessidades e objetivos diferentes. O pensamento do marketing é global. O mundo está a mudar e o marketing também. É a revolução na interação com as redes sociais, com conteúdos de grande interesse, tocando o coração, a razão e a consciência de cada empresário e de todas as empresas. No fundo, o marketing deve ter sentimento, deve agregar valor ao serviço e deve ser verdadeiramente útil para o consumidor.

Está na hora de fazer uma aposta no marketing digital, sem nunca esquecer a publicidade impressa, valorizando a web, pois é fundamental crescer na internet, principalmente no Google, oferecendo conteúdos para conquistar o seu público-alvo. O segredo é a combinação da interação online e offline entre empresas e clientes.

Com a quantidade de dados que se consegue usando o marketing digital, é possível fazer investimentos de marketing extremamente direcionados para o seu público-alvo. E com resultados quase 100% fiáveis.

Esse tipo de segmentação faz com que a eficiência das campanhas aumente notavelmente e que o montante gasto em marketing não seja desperdiçado banalmente.

Num mundo global, cada vez mais online, o toque offline representa uma forte diferenciação no mercado. Ou seja, o toque humano é sempre fundamental para o êxito de qualquer empresa.

Posso concluir que a autenticidade da marca vai ser cada vez mais valorizada, porque o mundo é cada vez mais transparente e a autenticidade é talvez o ativo mais valorizado.

E lembrem-se sempre: O FUTURO É AGORA!

Comentários

Sobre o autor

Avatar

Liz Silva é presidente da AMA Empresarial – Associação de Marketing e Atitude Empresarial, proprietário do conhecido Projeto “Liz Silva - Palestras, Workshops e Treinos de Marketing & Negócios” e CEO de uma empresa de Marketing Estratégico. Empreendedor nato, é... Ler Mais