O contexto económico mundial em que vivemos atualmente, inquieta líderes e gestores de todo o mundo. Os números algo assustadores da inflação, ausência de crescimento económico, entre outros, deixam alguma insegurança quanto ao futuro e ao crescimento das empresas.

Este artigo explora, de forma resumida o que acontece quando os líderes empresariais fazem e seguem uma escolha intencional para crescer. Ou seja, todos os líderes e gestores querem ver as suas empresas a crescer, mas a questão é, o que significa escolher explicitamente o crescimento?

O crescimento é algo que todos os líderes empresariais aspiram a concretizar, mas para muitos continua a ser ilusivo. De acordo com estudos recentes da consultora Mckinsey cerca de um quarto das empresas não cresce de todo, e entre 2010 e 2019, apenas uma em cada oito conseguiu mais de 10% de crescimento anual das receitas.

Será que um crescimento sustentado e rentável pode ser uma “escolha”?

Como líder, faz uma escolha explícita para crescer? Ou será que presta um serviço focado nas suas ambições pessoais de crescimento e deixa a sua determinação vacilar se o lucro não for imediato? Se o crescimento não for imediato?

Quando o crescimento sustentável, inclusivo e rentável se torna uma escolha consciente e resoluta por parte do líder, definitivamente ele molda a tomada de decisões em todas as áreas do negócio. O crescimento torna-se o oxigénio de uma organização, alimentando a cultura, elevando as ambições, inspirando e motivando todos e criando um verdadeiro sentido de propósito. Os líderes de crescimento geram mais valor acionista do que os seus pares e sobretudo atrai talento, fomenta a inovação e cria empregos.

A escolha de crescer é primordial e é aplicável independente da indústria ou do clima económico. De facto, muitas empresas de elevado crescimento, como a IBM,  Hewlett-Packard, Burger King, Hyatt Hotels, Microsoft, e Airbnb, para citar algumas, foram fundadas durante períodos de recessão económica. Eu própria tenho uma tendência para empreender nesses momentos e foram os melhores para o crescimento das empresas, de forma rentável e sustentável. Uma das empresas do qual fui co-fundadora foi criada em 2008, em plena crise de mercados financeiros mundiais. Também a GO IT Concept, nasce em plena pandemia e vai atravessar todo este contexto económico de crise global – o melhor momento para criar e crescer!

Os líderes que escolhem o crescimento e superam os seus pares não só pensam, agem e falam de forma diferente; eles alinham-se em torno de uma mentalidade, estratégia e capacidades partilhadas. Por sua vez, definem e executam indicadores-chave de desempenho (KPIs/OKR´s) claros e mensuráveis para toda a organização. Exploram e investem em oportunidades tanto dentro como fora do seu core business. São fiéis à sua visão de crescimento face a desafios inesperados no seu contexto empresarial e operacional, transformando “perturbações” em verdadeiras oportunidades. A sua resiliência, determinação e perseverança estão sempre em níveis de “overdose”!

Os líderes orientados para o crescimento moldam o seu pensamento e ações no sentido do crescimento, tanto a curto como a longo prazo. Reagem de forma decisiva a perturbações a curto prazo que transformam rapidamente em oportunidades e constroem resiliência e agilidade organizacionais para responder à mudança. Estes líderes seguem um plano intemporal de crescimento que flui do seu pensamento e com uma visão de futuro para as vias do crescimento e execução.

Da minha experiência, partilho algumas atitudes, pensamentos e ações, que transformados em execução, são fundamentais na liderança de crescimento sustentável, como escolha explícita:

1- Estabelecer uma mentalidade e cultura aspiracional – líderes de crescimento partilham um mindset e comportamentos desde as suas comunicações até à sua vontade de aprender através do fracasso. Planeiam um crescimento intemporal apoiando as aspirações com objetivos claros, motivadores e mensuráveis – criando uma Estrela do Norte que alimente a narrativa estratégica e cultural mais ampla do negócio, inspirando uma cultura a nível de toda a organização que procura continuamente e persegue oportunidades de crescimento. Estão mais dispostos a mudar o seu modelo operacional para permitir o crescimento, sempre que necessário;

2- Ativar vias de crescimento a todo o momento – os líderes que escolhem o crescimento a sua posição natural é procurar oportunidades onde quer que elas existam; seja através da expansão do seu core business, inovar os já existentes ou adjacentes. Procurar crescimento em novas geografias e indústrias adjacentes onde os líderes de crescimento podem adaptar as suas ofertas existentes para servir novos segmentos de clientes;

3- Formar ecossistemas de parceiros – procurar propositadamente oportunidades de crescimento revolucionário através da construção de novos negócios ou fusões e aquisições (M&A). Encontrar parceiros que se complementam entre si abrindo novas oportunidades de negócio e crescimento ao mesmo tempo que aumenta a experiência do cliente e alarga o alcance e as oportunidades de inovação em todo o ecossistema.

4- Executar é tudo – os líderes que escolhem o crescimento apoiam as suas ambições, dando prioridade a um conjunto crítico de facilitadores de execução: seja o modelo operacional, e alocação de recursos, ecossistemas, alianças, parcerias e capacidades funcionais. Escolhem muitas vezes a rapidez à perfeição;

5- Medir, Medir e Medir – na gestão do desempenho, os líderes de crescimento adotam sempre um vocabulário de crescimento, medindo o que se pretende e o que recebe. Acompanham ativamente as métricas orientadas para o crescimento, ligando-os a objetivos e incentivos organizacionais. Como refere a  célebre afirmação de Peter Drucker, “if you can´t measure it, you can´t manage it”. Atenção apenas para não criar um infindável rol de métricas, asfixiante e consumidor de tempo para a equipa e organização. Seja responsável, meça com moderação!

Fazer a escolha consciente de crescer cria uma poderosa dinâmica que orienta toda a empresa em direção a esse objetivo. As cinco ações acima orientam um plano de crescimento e definem os elementos intemporais sobre os quais os líderes precisam de se concentrar diligentemente a partir do momento que tenham feito uma escolha deliberada e propositada para crescer.

Preparar a organização para desbloquear oportunidades de crescimento em “solavancos” oportunos. A clareza de propósito e visão que vem desta escolha é o que ajuda os líderes e as suas equipas a acreditarem no aparentemente impossível e a torná-lo realidade.

Optar pela liderança de  crescimento: a diferença subtil entre o sucesso e a estagnação.

*E Ambassador na Fábric@ Empreendedorismo Município de Seia

Comentários

Sobre o autor

Avatar

Sónia Jerónimo é atualmente cofundadora da GO IT Concept & Ambassador na Fábric@ Empreendedorismo do Município de Seia. Anteriormente foi Entrepreneur & Board Advisor e passou pela Winning, como COO e Board Advisory. Tem mais de 20 de experiência na... Ler Mais