Isagri, Coverflex e Gap foram às compras. Conheça os negócios do mês.

A Isagri adquiriu a CentralGest, passando a disponibilizar uma solução integrada ao setor agrícola em Portugal, a Coverflex comprou a eCheque, que lhe permitirá triplicar a rede de cuidados de crianças, e a Gap passou a deter a start-up de inteligência artificial da Sonae IM, a CB4. Conheça os negócios deste mês.

Grupo europeu Isagri compra portuguesa CentralGest
O grupo europeu Isagri adquiriu a CentralGest, que lhe permitirá disponibilizar “uma solução completamente integrada” para o setor agrícola em Portugal, avançou à agência Lusa o diretor da empresa da Mealhada, Tiago Carreira.

“Com este negócio, vamos liderar o setor agrícola em Portugal, com uma solução completamente integrada que inclui a gestão e a parte agrícola”, explicou Tiago Carreira, acrescentando que o objetivo é também serem “líderes em Portugal no setor da contabilidade”.

Os agricultores passam assim a ter “um produto que gere a sua contabilidade, que emite a sua faturação, a parte dos ativos”, ou seja, que junta “a parte administrativa e de gestão com a parte agrícola”, frisou.

O grupo Isagri é o principal editor europeu de software para a agricultura, para o setor dos gabinetes de contabilidade e seus clientes, enquanto a CentralGest é uma editora portuguesa de software de gestão para a área contabilística e empresas.

“A partir do próximo ano, em junho, as duas empresas serão fundidas numa só”, avançou Tiago Carreira. O responsável explicou que este passa a ser “o único negócio em Portugal que verdadeiramente está integrado entre um sistema de gestão administrativo puro (CentralGest) e toda a parte agrícola, que é o que a Isagri tem, porque é líder europeu na área agrícola”.

Segundo Tiago Carreira, a Isagri Luso já tem 650 clientes e a CentralGest “acrescenta cerca de 5.500 clientes novos ao grupo Isagri”.

Start-up portuguesa Coverflex volta às compras e adquire mais duas concorrentes
A Coverflex regressou às compras e, no espaço de um mês, totaliza três aquisições de concorrentes. Desta vez, a start-up de compensações flexíveis para empresas anunciou a aquisição da eCheque e também da solução de benefícios para recursos humanos criada pela Colmena.

Através destas aquisições, a Coverflex expande a presença no mercado português na área dos benefícios para trabalhadores. Com a eCheque, que desenvolveu um sistema que permite encomendar, gerir e reembolsar vales para infância e educação, a empresa triplica o acesso à rede de cuidados de crianças, mais especificamente no que toca às creches. De acordo com a Coverflex, o acesso a creches é “um dos pilares fundamentais” do crescimento da empresa na área dos benefícios flexíveis. A empresa passará a contar com uma “oferta superior a mil estabelecimentos em todo o país” na área de cuidados de crianças.

Já com a aquisição da plataforma da Colmena, a Colmenahr.com, a Coverflex passa a ser dona de uma solução de benefícios flexíveis para start-ups e PME, onde os trabalhadores podem escolher como usar um “plafond” de benefícios atribuído pela companhia.

“As aquisições da eCheque e da solução de benefícios da Colmena fazem parte do plano de crescimento ambicioso que traçámos, em conjunto com os nossos investidores, para os próximos meses. Alargar a nossa rede de parceiros é a maneira de construirmos, de forma estruturada, a melhor solução de gestão de benefícios flexíveis na Europa, e de continuarmos a provar o enorme potencial do mercado da compensação e benefícios em todo o mundo”, afirma Miguel Santo Amaro, cofundador e CEO da Coverflex.

Antes destas duas aquisições, a Coverflex já tinha anunciado a compra da FlexBen ao grupo MDS, que permitiu à empresa não só alargar a base de clientes, como também internacionalizá-la, passando a contar com clientes em Espanha.

Gap compra start-up de inteligência artificial do portefólio da Sonae IM
Gap, gigante norte-americana do setor do vestuário, comprou a CB4, uma empresa de desenvolvimento de software de inteligência artificial incluída na carteira de investimentos da Sonae IM.

O braço de investimento tecnológico do grupo multinacional Sonae participou na ronda de financiamento série B de 16 milhões de dólares (14 milhões de euros), em 2019, ao lado de investidores de peso, como a Octupus Ventures, a Sequoia Capital e a Pereg Ventures.

O software desenvolvido pela CB4 utiliza machine learning e algoritmos avançados de inteligência artificial para “identificar a elevada procura de produtos específicos nas lojas”, refere a Sonae IM em comunicado.

A empresa explica que “quando um produto não consegue vender a níveis de procura previstos, a CB4 envia um alerta sobre o problema ao gestor de loja e sugere formas de o corrigir”, o que “gera aumentos entre 0,5% e 2% em novas vendas líquidas”, proporciona uma “melhor experiência do cliente e maior capacidade de encontrar produtos”.

“A CB4, reconhecida pela CB Insights como sendo uma das 100 empresas de tecnologia aplicada ao retalho mais promissoras do mundo, em fevereiro de 2021, tem-se destacado por permitir apoiar novas vendas e garantir a satisfação de mais clientes. A equipa da CB4 será integrada no grupo”, adianta.

Segundo a Sonae IM, a start-up agora adquirida pela Gap atraiu o seu investimento “pelo potencial e impacto da tecnologia nos retalhistas”.

O CEO da CB4, Yoni Benshaul, destaca que a inteligência artificial “da CB4 ajuda a aumentar as vendas e a melhorar as experiências dos clientes”. “Ao juntarmo-nos à Gap, estou entusiasmado por ver como a nossa equipa pode ter um impacto ainda mais amplo e profundo à escala global da empresa”, refere o responsável da CB4 citado no comunicado.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados