“A nossa ambição até 2030 é criar uma rede de 35 campus em todo o mundo onde Lisboa será o hub principal na Europa”. O statement é de Leonor de L’Hermite, responsável pelo campus da Forward College, uma faculdade internacional que abriu recentemente em Lisboa. Ao Link To Leaders explicou a opção pela capital portuguesa e como funciona o modelo de ensino que a Forward College preconiza.

A Forward College anunciou em maio abertura de um campus em Lisboa, mais concretamente em Benfica, no próximo mês de setembro. A instituição de ensino superior europeia apresenta um programa universitário de três anos que visa “realinhar a aprendizagem com os requisitos dos melhores empregos de amanhã, as aspirações dos alunos e a necessidade de mudança positiva”. Promete, através de uma nova abordagem à aprendizagem, desenvolver não apenas capacidades cognitivas como também sociais e emocionais.

Leonor de L’Hermite, responsável pelo Campus em Lisboa, e ex-Sénior Executiva da Google em Portugal, explicou ao Link To Leaders o que diferencia o modelo pedagógico da Forward College  e como espera que  a instituição ajude a formar os lideres de amanhã.

Como surgiu a ideia de abrir a Forward College em Portugal?
Lisboa é uma das capitais mais carismáticas e vibrantes da Europa. Combina a herança tradicional com um ecossistema tecnológico vibrante, política estável e pensamento progressista e aberto. Lisboa tornou-se sinónimo de destino cool nos últimos anos, não só em turismo, mas sim para viver pela qualidade de vida, inovação e uma cena artística em crescimento.

Por isso, quando o Boris Walbaum, o fundador [da Forward College]me desafiou para tornar este projeto realidade, Lisboa oferece o contexto ideal para os alunos do primeiro ano da Forward College se conhecerem e criarem a coesão que lhes vai permitir ter uma experiência inesquecível. A nossa ambição até 2030 é criar uma rede de 35 campus em todo o mundo onde Lisboa será o hub principal na Europa.

“O programa da Forward Collegge foi por isso desenhado (…) com uma abordagem centrada no desenvolvimento pessoal e individualizado de todas as inteligências humanas de cada aluno”.

O que distingue este programa universitário dos que já existem atualmente?
Durante quatro anos a Forward College desenvolveu um programa de investigação e desenvolvimento, o Forward Project, para responder ao que os jovens esperam do ensino superior, e o que eles precisam para estar melhor preparados para o mundo do trabalho de hoje e para a sua realização pessoal. Os números falam por si: 75% dos empregadores consideram que as universidades não preparam bem os alunos para o local de trabalho e 60% dos alunos consideram as aulas sem interesse.

O programa da Forward Collegge foi por isso desenhado combinando o que de melhor se faz no mundo da educação, com uma abordagem centrada no desenvolvimento pessoal e individualizado de todas as inteligências humanas de cada aluno. Distinguimo-nos no WHAT: o duplo diploma da Forward Collegge cobre para além da inteligência cognitiva, tratada na nossa gama de licenciaturas acreditadas pela Universidade de Londres, a inteligência social, emocional, prática e tecnológica através do nosso diploma em liderança.

Este currículo foi desenhado com o contributo ativo de 64 recrutadores e especialistas representando as empresas mais procuradas no mundo, start-ups e instituições. Por meio de projetos da vida real – que são parte integrante do seu currículo – os alunos alcançam e trabalham com os habitantes locais para causar um impacto positivo na sua comunidade. Estes projetos são acompanhados de forma individualizada pelos nossos tutores de liderança. Oficinas e aulas focadas no desenvolvimento pessoal permitem que os alunos explorem e trabalhem na sua personalidade, habilidades interpessoais e de liderança, bem como o seu QE (quociente emocional). No segundo ano, os alunos concentram metade do seu tempo em literacia digital através de projetos hands-on e formações digitais.

Distinguimo-nos também no HOW. Com uma proporção de um docente por 10 alunos, das mais elevadas da Europa, aplicamos métodos de ensino inovadores que se organizam pela relação indissociável da transmissão e assimilação de conhecimentos e habilidades. Consideramos as discussões, a assimilação e a compreensão dos conteúdos  (atividades práticas, simulações, testes…), como objetivos centrais protagonizados pelo estudante em sala de aula, na presença do professor, enquanto mediador do processo de aprendizagem. Oferecemos 100% do ensino através de grupos que não ultrapassam os 15 alunos ou aulas individualizadas.

Como é constituído o programa de três anos? Com o que podem contar os alunos?
Os alunos irão passar três anos em três diferentes capitais europeias, sucessivamente, – Lisboa, Paris e Amesterdão – para expandir os seus horizontes e alimentar a sua curiosidade e adaptabilidade. Vivem em acomodações estudantis dedicadas, onde nutrem uma verdadeira vida comunitária que melhora o seu espírito e desempenho durante os currículos académicos e de liderança.
Como parte da licenciatura em negócios e liderança, os alunos passarão o primeiro ano a trabalhar num projeto com as comunidades locais para impulsionar a mudança social no terreno. Durante o segundo ano, aprenderão como projetar e implementar uma solução digital. Por último, durante o terceiro ano, serão treinados em trabalho de consultoria com organizações internacionais e irão participar num estágio de três meses. No nosso site podem encontrar mais detalhes sobre o conteúdo do programa.

“(…) há uma necessidade de mais “líderes positivos” – líderes que não apenas tenham uma visão clara, mas que sejam mais humanos, empáticos e confiantes”.

Como formar e capacitar os líderes de amanhã?
Num contexto de aceleração digital, vejo três desafios principais exigindo a necessidade de um novo tipo de líder. Primeiro, precisamos de uma sociedade que seja mais responsável, sustentável, inclusiva e humana – o custo de não ser sustentável é muito alto e é ainda mais verdadeiro depois da Covid.
Em segundo lugar, os líderes devem compreender o mundo em que vivemos, que está a ser transformado pelo digital e pela tecnologia. O impacto da Covid acelerou a transformação digital – o que aconteceu em um ano deveria ter levado 10.
Terceiro, a autoridade dos líderes, mesmo aqueles em quem votamos, está a ser constantemente questionada. Mudamos de um modelo vertical para um modelo horizontal de autoridade. Os líderes devem encontrar novas maneiras de serem ouvidos e seguidos.

Como resultado, há uma necessidade de mais “líderes positivos” – líderes que não apenas tenham uma visão clara, mas que sejam mais humanos, empáticos e confiantes. Líderes que não se preocupam com o crescimento, mas com crescimento responsável. Essas habilidades não aparecem de um dia para o outro, elas precisam de ser ensinadas.

De que forma a Forward College ajuda os líderes de amanhã a adquirir competências-chave?
A pedagogia e o currículo exclusivos da Forward College concentram-se no desenvolvimento de habilidades cognitivas, sociais, emocionais, práticas e digitais. Durante os três anos, os alunos irão trabalhar em projetos com um propósito (ecologia, impacto social, etc.) e terão o benefício de programas de tutoria individual e desenvolvimento pessoal para refletir sobre o que aprenderam e construir suas inteligências holísticas.

Quantas inscrições têm já para a primeira turma em Benfica?
Já recebemos mais de 2.000 inscrições, de 20 países europeus, para nossa primeira coorte em setembro de 2021, em Lisboa. Destes, apenas 180 foram selecionados para entrevistas.

Quais os requisitos para frequentar a Forward College?
Procuramos estudantes com um forte potencial académico (para acompanhar o diploma duplo), mas também que sejam capazes de ir além da excelência académica e mostrar um engajamento excecional fora da área académica em artes, desporto ou serviço comunitário. Por último, devem ter uma curiosidade social e internacional para poder viver com pares em três países diferentes durante três anos.

Quais as previsões este programa para daqui a três anos?
Em três anos pretendemos receber 1200 alunos de todo o mundo em 10 campus.

“(…) o campus de Lisboa será a nossa sede principal (…)”.

Como irá funcionar a relação ou trabalho do campus de Benfica com os outros campus?
Como dizia, o campus de Lisboa será a nossa sede principal e pretendemos crescer rapidamente e receber milhares de alunos de todo o mundo.

Quais os desafios que se colocam ao ensino superior hoje em dia?
Embora as universidades tenham inovado nos últimos anos, é mais difícil adaptarem-se à nova ciência da aprendizagem e ao potencial dos dados por causa da tomada de decisão descentralizada e de hábitos centenários.

“Acreditamos que garantir o ensino no local e uma vida real no campus é fundamental, pois melhora o desempenho moral e geral dos alunos”.

O ensino presencial não será o mesmo depois da pandemia?
Acreditamos que garantir o ensino no local e uma vida real no campus é fundamental, pois melhora o desempenho moral e geral dos alunos. O nosso currículo, instalações e procedimentos foram elaborados na época da Covid. Como resultado, a Forward College estará entre as instituições de ensino superior melhor equipadas no caso de uma pandemia prolongada.

Os nossos micro campus (<150) e pequenos grupos de ensino (15) limitam a exposição ao potencial contágio.  As nossas instalações permitirão total distanciamento social com 9 metros quadrados por aluno, quatro vezes a média das universidades. Em caso de pico, o tamanho dos grupos será reduzido e o ensino será praticado através de ensino online e presencial. Por último, os testes serão disponibilizados no campus e medidas específicas podem ser aplicadas por 1 a 2 semana (s) antes das férias para garantir que os alunos voltem para casa sãos e salvos.

Comentários