Aos 14 anos, criou a Figueiró TV, um canal de televisão de Figueiró dos Vinhos, em Leiria. Trabalhou na construção da plataforma NetChall e faz parte da equipa da rede social Skyvee 24. Hoje, com 16 anos, é CEO na Apollotec, empresa de serviços web, que pretende transformar num dos primeiros Data Center mais eficientes do mundo.

O Link To Leaders esteve à conversa com Ricardo Soares, para saber o que o inspirou a ter espírito empreender desde cedo e a lançar uma empresa de serviços, sem qualquer tipo de financiamento.

Com apenas 14 anos, lançou a Figueiró TV. O que despertou a sua curiosidade para o mundo dos negócios tão novo?
Na realidade a Figueiró TV começou a ser planeada quando tinha apenas 13 anos. Após 6 meses de planeamento, a 10 de janeiro de 2014 foi lançada a Figueiró TV. No início, não era um negócio, era um passatempo entre mim e uns colegas de escola. Hoje, a Figueiró TV está a tomar rumos diferentes e, apesar de não a podermos considerar negócio, já é um canal de referência.

É também CEO da Apollotec. Quem o ajudou a criar a empresa?
Inicialmente, a Apollotec foi desenvolvida só por mim. Depois, comecei a receber as opiniões/sugestões do André Leonardo e do Tim Vieira sobre o projeto. E hoje estou a receber a ajuda do Centro Investe, uma incubadora em Figueiró dos Vinhos. Agradeço a todos os técnicos que colaboram e trabalham diretamente ou indiretamente e em especial à Nádia Piazza, que é quem realiza todos os contactos dentro do Centro Investe.

Como surgiu a ideia de criar a Apollotec?
A ideia de criar a Apollotec surgiu quando precisei de criar um site para a Figueiró TV e encontrei empresas que praticavam preços que considerava absurdos. Para não falar da falta de qualidade dos serviços. Acedi a um grupo do Facebook e perguntei se alguém conhecia algum local onde pudesse alojar um website, mas com preços mais acessíveis. Passado pouco tempo, surgiram logo comentários a dizer que os preços nem eram assim tão elevados e que as empresas com Data Centers gastam muito, principalmente em energia. Após alguma pesquisa, verifiquei que os Data Centers consumiam, de facto, muita energia e foi aí que se fez luz, e surgiu a ideia da Apollotec.

Em que consiste da atividade da Apollotec?
A Apollotec consiste na área dos serviços web, está mais focada na área de servidores web e alojamento de websites. Também dispomos de serviços de webdesign, através dos quais contamos já com um largo portefólio, SEO e gestão de servidores.

Qual o modelo de negócio da Apollotec?
O que irá diferenciar a Apollotec das demais empresas na área, é que irá oferecer um serviço 100% amigo do ambiente. Com a redução desta grande fatia de despesa de um Data Center, é possível praticar preços muito melhores e mais acessíveis.

Quantas pessoas trabalham na Apollotec?
Na Apollotec, trabalham neste momento duas pessoas, eu e uma amiga. Mas quero aumentar a equipa em breve, assim que surjam pessoas para tal. Além disso, trabalham para a Apollotec mais cinco pessoas de forma indireta.

O Ricardo afirma que pretende fazer da Apollotec um dos primeiros Data Center eficientes no mundo. Como pensa tornar este sonho realidade?
Nós conseguimos sempre aquilo que queremos, nada é impossível nos tempos de hoje. Já tenho contactado diversas empresas para recolher informações, serviços, produtos e outros, para poder avaliar quais as melhores soluções. Algumas, inclusivamente, têm-se mostrado disponíveis para ajudar com o projeto, que vai além do Data Center.

Trabalhou na construção da plataforma da rede social NetChall e faz parte da equipa da rede Skyvee 24. Pode falar-nos mais destes projetos? Como surgiu a oportunidade de colaborar nestes projetos?
A oportunidade de trabalhar na construção da plataforma NetChall surgiu através do André Leonardo que fez uma publicação a apelar a quem pudesse ajudar um rapaz que estava a desenvolver o projeto NetChall. Entrei em contacto com o rapaz e trabalhei no desenvolvimento da plataforma.

Comecei também a trabalhar na rede social Skyvee 24, quando enviei inicialmente uma mensagem para a página de Facebook da Skyvee Softwares, para alojar o website deles num servidor de qualidade e ajudá-los a terem um domínio web exclusivo. Nessa altura, já estavam para lançar a rede social Skyvee 24. No início, como a Skyvee 24 estava a ser lançada, pediram-me opiniões, na qualidade de utilizador, para fazerem melhorias. Com o tempo, fiquei a fazer parte da equipa, com a qual gosto bastante de trabalhar. E hoje fico orgulhoso de saber que faço parte da equipa de uma rede social que me arrisco a dizer que fará frente ao Facebook.

De todas as experiências profissionais que passou, qual foi a que mais o marcou?
Neste momento, não tenho nada que me tivesse marcado assim de forma diferente.

O que foi determinante para enveredar tão cedo pelo mundo dos negócios?
Foi a vontade de querer fazer, de quer mudar e o espírito de nunca desistir.

Quem mais o inspirou no seu percurso profissional?
Bem, tenho diversas pessoas que, para mim, são uma referência e que me inspiraram no percurso profissional. Uma delas é o André Leonardo, além do Mark Zuckerberg, o Bill Gates, Manuel Rui Azinhais Nabeiro, entre outras personalidades. Cada um deles tem algo que os distingue, algo diferente.

Que conselhos dá aos jovens que querem criar um negócio?
O principal conselho que posso dar a um jovem empreendedor, é que nunca desista. Por muitos nãos que oiçam, acreditem sempre. Se o projeto é viável, nunca desistam. Rodeiem-se das pessoas certas e saibam ouvir com muita atenção o que cada uma diz.

Como se vê daqui a 10 anos (com 26 anos)?
Daqui a 10, vejo-me com a ideia inicial já concluída e com mais Data Centers construídos segundo este modelo. E espero ter a oportunidade de poder ajudar mais jovens portugueses e não só.

Respostas rápidas:
O maior risco: O investimento inicial
O maior erro: O medo de falhar
A melhor ideia: A Apollotec e as plataformas futuras.
A maior lição: Nunca desistir, por muito que digam para o fazermos.
A maior conquista: Ter lançado a Apollotec sem financiamento nenhum.

 

 

Comentários