Empresas portuguesas integram ranking das melhores no combate às alterações climáticas

Cinco empresas nacionais estão no topo do ranking da Carbon Disclosure Project que analisou 21 mil empresas no combate às alterações climáticas.

A organização Carbon Disclosure Project (CDP) analisou mais de 21 mil empresas no que diz respeito ao combate às alterações climáticas. Cinco companhias portuguesas estão entre as que registam uma melhor pontuação. São elas a BA Glass, a EDP, a Jerónimo Martins, a Sonae SGPS e a Sonae MC que integram a chamada “lista A”, distinguindo-se na categoria Clima.

No total, o CDP avaliou mais de 21 mil empresas, sendo que menos de 400 (2%) integram a “lista A” de 2023, onde estão as que atingiram o nível de excelência em, pelo menos, uma das três categorias destacadas — Clima, Florestas e Água.

As empresas responderam a um conjunto de questionários, tendo por base as três categorias, e o resultado foi utilizado para a avaliação das mesmas.

De acordo com os dados , 346 empresas integram a “lista A” em matéria de alterações climáticas, 30 lideram no que diz respeito às florestas e 101 formam o conjunto que se destaca na categoria segurança da água. O ranking destaca 10 empresas como as que tiveram a nota “A” nas três categorias, a nível mundial.

Entre estas encontram-se Beiersdorf AG (Europa), a Danone (Europa), KAO Corporation (Ásia), Kering (Europa) e a Klabin (América do Sul).

Surgem também com a mesma classificação nas três categorias a Lenzing (Europa), a L’Oréal (Europa), Mayr-Melnhof Karton Aktiengesellschaf (Europa), a Philip Morris International (América do Norte) e a Sekisui House (Ásia).

Já entre as empresas com classificação “A” em duas categorias estão, por exemplo, a Musim Mas Holdings (Ásia), a Mondi PLC (Europa), a Miguel y Costas (Europa), a Unilever plc (Europa), The Nisshin OilliO Group (Ásia) e a Anheuser Busch InBev (Europa).

Desta lista fazem ainda parte empresas como a Mars (América do Norte), que se distinguiu na categoria Florestas, a Nissan Motor (Ásia), que teve a classificação “A” na categoria Água, o Vodafone Group e o Volvo Car Group, ambos com nota máxima na categoria Clima.

“É encorajador ver tantas empresas, em todo o mundo, a iniciar ou acelerar o seu caminho em direção à transparência ambiental em 2023. Vimos um aumento de 24% nas divulgações no ano passado e essa trajetória é bem-vinda”, apontou a presidente executiva do CDP, Sherry Madera, em comunicado.

Para esta responsável, estar na lista de classificações “A” é “mais do que uma pontuação […], é um indicador de dados de alta qualidade, que dotam as empresas de uma visão holística quanto ao seu impacto ambiental e servem de base para planos de transição”.

Contudo, Sherry Madera ressalvou existir ainda “uma minoria de empresas” à altura deste desafio. “Sem transparência e responsabilização – seguidas de uma ação imediata, as reivindicações de sustentabilidade não têm sentido”, reforçou.

 

Comentários

Artigos Relacionados