Como duas jovens ucranianas conseguiram criar uma marca de roupa de sucesso

Um mês após a marca de Kate Zubarieva e Asya Varetsa chegar ao Instagram, o editor-chefe da “Vogue Itália” nomeou a Sleeper como “a marca do mês”. Mas não ficaram por aqui: conseguiram vender a sua marca de roupa na Barneys, em Nova Iorque, e na Harrods, em Londres, e manter a sua sede na Ucrânia.

Kate Zubarieva e Asya Varetsa lançaram a marca de roupa Sleeper, em Kiev, em 2014, no auge da Revolução da Dignidade Ucraniana. Na época, estas jovens ativistas participavam regularmente nas marchas pró-democracia. “Vivenciámos um verdadeiro pesadelo, que tornou rápido o reconhecimento e a aceitação dos nossos verdadeiros valores”, explicaram as jovens à Fobes. “Todos os medos desapareceram. Preparamo-nos para iniciar uma nova fase. Então, surgiu a ideia de criar uma empresa com identidade própria, que traria alegria em situações simples”, acrescentaram.

As duas trabalhavam há mais de cinco anos como editoras de revistas de moda. A ideia de criar uma linha de roupa para descanso que também pode ser usada como traje casual, chamada pelas fundadoras de “roupa de dormir ambulante”, surgiu a Kate durante um sonho numa noite de Natal. A jovem partilhou a experiência com Asya e, seis meses depois, as duas lançaram a primeira coleção de moda diurna da Sleeper, ecologicamente e eticamente correta, com um investimento de apenas 2 mil dólares (quase 1,7 mil euros) , saídos do seu próprio bolso.

As vendas já aumentaram 500% desde o lançamento da marca. Dois momentos marcantes fizeram parte da história de sucesso destas jovens. Apenas um mês após o primeiro produto da empresa chegar ao Instagram, o editor-chefe da “Vogue Itália” nomeou a Sleeper como “a marca do mês”. Então, no verão de 2017, a “Marie Claire” declarou, nos EUA, o vestido off-the-shoulder da marca como “a melhor peça de vestuário do ano”. As jovens conseguiram ainda a atenção da loja de luxo americana Barneys New York e dos luxuosos e exclusivos armazéns Harrods, em Londres.

A Sleeper baseia-se nos conceitos de fabrico artesanal e de consciência ética. Todas as peças são costuradas à mão, a partir de fibras naturais e ecológicas. Como as roupas são personalizadas nos estúdios de costura da empresa, não há desperdício por excesso de produção. Muitos dos profissionais que trabalham na marca têm 30 anos de experiência, enquanto outros acabaram de concluir a sua formação. Mas todos recebem salários competitivos, além de um ambiente seguro para poderem trabalhar.

“Sleeper significa slow fashion. Oferecer roupas de alta qualidade, imtemporais e elegantes, mas sustentáveis, é essencial para a nossa marca”, explicam as empreendedoras, acrescentando que “queríamos construir uma empresa cuja estética fosse agregada a todos os produtos, bem como aos nossos funcionários e cliente”.

Uma das estratégias da empresa de Kate e Asya é a preocupação com a sua equipa: “Queremos que eles [os funcionários] sejam ouvidos e estejam felizes. Queremos que as nossas costureiras se sintam dignas e realizadas. Todo o resto, como o indicador de desempenho, o volume de vendas e o retorno, é o reflexo do nosso esforço para ter um diferencial na indústria da moda. Gostamos de excelência”.

Atualmente, o maior desafio enfrentado pela empresa é a sua sede estar na Ucrânia. “Já na nossa juventude, vivemos duas revoluções e agora o país está em guerra novamente. Essa é a situação. Então, tudo o que pode ser considerado como um problema nós escolhemos encará-lo como um emocionante desafio para o amanhã.”

Para outros jovens que procuram apostar no seu negócio, Kate e Asya dão um conselho: “Sigam sempre o seu coração. Não temam nada. Sejam fiéis a vocês mesmos. E, por favor, sejam gentis”.

 

Comentários

Artigos Relacionados